Percurso de navegação

A crise financeira e económica – factos e políticas

A actual crise solicita uma acção concertada tanto a nível europeu como internacional. A UE tomou uma série de medidas ambiciosas para restaurar a confiança, a estabilidade e a sustentabilidade nos mercados financeiros

Previous pageNext page

25 de Março de 2009
Declaração conjunta da Presidência do Conselho ECOFIN e da Comissão sobre a ajuda financeira a médio prazo da UE à Roménia

Face aos efeitos adversos da crise financeira mundial na situação económica e financeira da Roménia e ao firme compromisso das autoridades romenas de aplicarem um vasto programa de ajustamento económico, a UE manifestou a sua intenção de conceder até 5000 milhões de euros de ajuda financeira de médio prazo a este país.
>> A UE tenciona conceder uma ajuda financeira de médio prazo à Roménia até 5000 milhões de euros

24 de Março de 2009
Propostas da Comissão ao abrigo do procedimento relativo aos défices excessivos (PDE)

Com base nas perspectivas económicas das previsões intercalares de Janeiro de 2009, a Comissão concluiu que a Grécia, a França e a Irlanda estavam a incorrer em défices excessivos e convidou o Conselho a adoptar uma série de recomendações para corrigir a situação. Relativamente ao Reino Unido, que já se encontra em procedimento de défice excessivo desde 8 de Julho de 2008, a Comissão apresentou novas recomendações com base nas perspectivas mais recentes.
A Comissão adoptou também uma recomendação para um parecer do Conselho sobre o programa de estabilidade cipriota.
>> A Comissão tomou novas medidas no âmbito do PDE em relação à França, Grécia, Irlanda, Espanha e Reino Unido e avaliou o Programa de Estabilidade de Chipre

19 - 20 de Março de 2009
Conselho Europeu da Primavera

O Conselho Europeu expressou a sua confiança na capacidade da UE para fazer face à crise económica e financeira. Referindo-se ao considerável estímulo orçamental de mais de 400 mil milhões de euros, que estão a ser injectados na economia da UE, salientou que a coordenação e a acção concertada eram elementos essenciais da estratégia de recuperação da UE.  Os dirigentes declararam que a Europa fará tudo o que for necessário para relançar o crescimento, reafirmando o papel decisivo do mercado único para ultrapassar a recessão.

Acordaram ainda em chegar rapidamente a acordo sobre as propostas legislativas pendentes relativas ao sector financeiro e definiram a posição da UE na Cimeira do G20 que se realiza em Londres a 2 de Abril.
>> Conselho Europeu - Conclusões da Presidência

17 de Março de 2009
Conferência de alto nível em Bruxelas sobre a política industrial em tempos difíceis
 
Em presença do Presidente da Comissão, Durão Barroso, dos Comissários Günther Verheugen e Catherine Ashton, tendo como orador principal Paul Krugman, Prémio Nobel da Economia em 2008.
 >> Empresas e Indústria -  Competitividade Industrial

14 de Março de 2009
Reunião dos Ministros das Finanças e dos Governadores dos Bancos Centrais do G-20 em Horsham, Reino Unido

Para preparar a cimeira do G-20 prevista para Londres a 2 de Abril, os Ministros das Finanças e os Governadores dos Bancos Centrais acordaram em prosseguir uma acção coordenada e exaustiva para estimular a procura e o emprego, restabelecer o crescimento económico e reformar e consolidar o sistema financeiro mundial. No comunicado que difundiram, os ministros e os governadores  acordaram em aumentar substancial e urgentemente os recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) para financiar as medidas necessárias. Pediram também ao FMI para avaliar as acções realizadas até ao momento bem como as que ainda são necessárias para restabelecer um crescimento sustentável. Por outro lado, congratularam-se com o alargamento do Fórum de Estabilidade Financeira a todos os membros do G-20. Para ajudar os países emergentes ou em desenvolvimento, o G-20 concordou em reforçar os bancos de desenvolvimento multilaterais e garantir-lhes recursos e liquidez suficientes.
>> Comunicado dos Ministros das Finanças e dos Governadores dos Bancos Centrais do G-20. G-20 insta o FMI a observar e avaliar a resposta à crise mundial

11 de Março de 2009
Memorando de entendimento adicional com a Hungria

O memorando de entendimento adicional com a Hungria foi assinado a 11 de Março. Após um primeiro pagamento de 2000 milhões de euros em Dezembro de 2008, será efectuado um segundo pagamento de montante idêntico no final de Março.
>> UE prestes a pagar a segunda fracção dos 6500 milhões de euros de ajuda financeira comunitária concedida à Hungria

9 - 10 de Março de 2009
Reuniões dos Ministros das Finanças - Eurogrupo e ECOFIN

Os  ministros debateram a situação e as perspectivas da economia da zona euro à luz dos últimos acontecimentos económicos e financeiros.O Conselho chegou a acordo sobre a aplicação de taxas reduzidas de IVA em determinados sectores.Entre outros resultados importantes, os Ministros aprovaram as modalidades de participação da UE na reunião dos Ministros das Finanças do G-20 prevista para 14 de Março e avaliaram uma série de programas de estabilidade e convergência recentemente actualizados.
>>Ordem do dia e conclusões do Conselho

6 de Março de 2009
A Comissão avalia a repercussão da crise económica nas pensões


A avaliação da Comissão conclui que apesar da gravidade da crise, as pensões na União Europeia não foram tão gravemente afectadas como outros tipos de instituições financeiras ou sistemas de pensões noutros países fora da UE. A Comissão conclui assim que o sistema é relativamente sólido, pelo menos a curto prazo, para aqueles que se reformam agora.

A avaliação confirma a utilidade do método aberto de coordenação (OMC) para corrigir alguns pontos fracos e conclui que a crise pode ter servido para revelar certos problemas estruturais subjacentes relacionados com a viabilidade dos sistemas de pensões. Por conseguinte, podem ser necessários ajustamentos para garantir a viabilidade a longo prazo dos sistemas de pensões.
>> MEMO/09/99. Crise económica e pensões na UE Traduções da ligação anterior 
>>
Pensão e crise financeirapdf Traduções da ligação anterior 
>> Emprego, Assuntos Sociais e Igualdade de Oportunidades. Protecção social

5 de Março de 2009
Banco Central Europeu (BCE) volta a baixar as taxas de juro


O BCE anunciou a descida da taxa de juro aplicável às principais operações de refinanciamento na zona euro para 1,50% a partir das operações a liquidar a 11 de Março de 2009.
>> Decisões de política monetária do BCE

4 Março de 2009

>> Aplicação do Plano de Relançamento da Economia Europeia: papel das reformas estruturaispdf Traduções da ligação anterior 

Previous pageNext page

Key events

Outras ferramentas

  • Visualização pré-impressão 
  • Reduzir texto 
  • Ampliar texto