Percurso de navegação

Print versionDecrease textIncrease textSubscribe to our RSS Feed
DG Interpretation Conference Video Portal
DG Interpretation Conference Streaming Portal
EU careersTREATY of Lisboneurope directItalian Presidency 2014
DG Interpretation

O local de trabalho do intérprete, em interpretação simultânea

Muitos centros de conferência dispõem de cabinas e equipamento fixos para a interpretação simultânea.

Se não existirem cabinas fixas, a interpretação simultânea é feita em cabinas móveis.

O principal centro de conferências da Comissão Europeia, o Centro de Conferências Albert Borschette (CCAB), tem quatro salas de reuniões com cabinas de interpretação simultânea em cada um dos cinco andares.

 

A maior sala de conferências da Comissão, no edifício Charlemagne, tem 23 cabinas.

 

O edifício Berlaymont, sede da Comissão Europeia, dispõe de 10 salas de reuniões equipadas para interpretação simultânea.

As cabinas devem permitir uma boa visão de tudo o que se passa na sala. Devem ser confortáveis, insonorizadas, climatizadas e bem iluminadas, dispor de cadeiras confortáveis e permitir uma visão directa e integral de todos os delegados.

Foram estabelecidas normas ISO para as cabinas e para o equipamento.

ISO 2603external link – 1998 (cabinas fixas)

ISO 4043external link – 1998 (cabinas móvei)

A DG da Interpretação esforça-se por reforçar as normas ISO, de forma a proporcionar aos intérpretes condições de trabalho excelentes e garantir uma interpretação e elevada qualidade.

Se estiver implicado na construção de instalações para conferências ou de salas de reuniões com equipamento de interpretação, não hesite em contactar a unidade de gestão das infraestruturas de reunião da DG da Interpretação para obter pareceres ou sugestões.

"Trabalha na cabina espanhola …"

Para os intérpretes, "trabalhar na cabina" significa exclusivamente interpretar. Mas a "cabina" também se refere à língua activa do intérprete ou, na DG da Interpretação, à unidade de interpretação a que este pertence. A DG da Interpretação tem uma unidade de interpretação - ou cabina - por cada língua oficial da União.