Percurso de navegação

Print versionDecrease textIncrease textSubscribe to our RSS Feed
DG Interpretation Conference Video Portal
DG Interpretation Conference Streaming Portal
EU careersTREATY of Lisboneurope directItalian Presidency 2014
DG Interpretation

O que fazemos

O que faz a DG da Interpretação?

A Direcção-Geral da Interpretação, também conhecida por SCIC, é o serviço da Comissão Europeia que assegura a interpretação e a organização de conferências. Está sob tutela do Androulla Vassiliou.

De certo modo, a União Europeia pode ser vista como uma longa conferência política e técnica permanente e intensa. Desde há mais de 50 anos, os Estados-Membros negoceiam, dia após dia, com base em propostas da Comissão. Todos os regulamentos e directivas English (en) , que constituem o direito da UE, têm origem à volta de uma mesa de conferências. A DG da Interpretação disponibiliza intérpretes para cerca de 11 000 reuniões por ano e é o maior serviço de interpretação do mundo.

A DG da Interpretação assegura a gestão das salas de reunião e o apoio necessário ao bom desenrolar das reuniões em diversas línguas. Também organiza conferências para as Direcções-Gerais e serviços da Comissão, cobrindo anualmente mais de 40 eventos importantes. Por conseguinte, tem por missão permitir a comunicação multilingue, que é um aspecto central do processo de decisão da Comunidade assegurando, designadamente:

  • a prestação de serviços de interpretação de qualidade;
  • a prestação de um serviço eficaz de organização de conferências, incluindo apoio técnico e gestão e concepção de instalações modernas para a sua realização;
  • a prestação de apoio à Comissão para pôr em prática a nova estratégia para o multilinguismo.

Por que são importantes todas as línguas?

Permitir que cada um se possa exprimir na sua própria línguaexternal link é uma condição fundamental para a legitimidade democrática da União Europeia. Em muitos casos, os actos jurídicos resultantes dos debates têm um efeito imediato e directo na vida quotidiana das pessoas. Nada deve entravar a compreensão e a expressão de opiniões nas reuniões. Os cidadãos da Europa não devem ter de ser representados em Bruxelas pelos seus melhores linguistas, mas pelos seus melhores especialistas. A DG da Interpretação lá estará para garantir que estes se entendem.

Para quem trabalha a DG da Interpretação?

A DG da Interpretação presta serviços de interpretação de qualidade nas reuniões organizadas pela Comissãoexternal link e pelas instituições e de organização de conferências aos serviços da Comissão. Os intérpretes da DG da Interpretação trabalham também para o Conselho Europeuexternal link, o Conselho da União Europeiaexternal link, o Comité das Regiõesexternal link, o Comité Económico e Socialexternal link, o Banco Europeu de Investimentoexternal link e várias agências e também representações nos Estados-Membrosexternal link. Actualmente, o Conselho absorve 46% dos serviços de interpretação prestados e a Comissão cerca de 40%, repartindo-se os restantes 14% pelos dois Comités, pelo Banco Europeu de Investimento e pelas diversas agências e outros organismos. OParlamento Europeuexternal link e o Tribunal Europeu de Justiçaexternal link possuem serviços de interpretação próprios, com os quais a DG da Interpretação colabora estreitamente.

Quanto custa a interpretação?

A DG da Interpretação da Comissão e os serviços de interpretação do Parlamento Europeu e do Tribunal de Justiça permitem que os participantes nas reuniões se exprimam na sua própria língua principalmente através da interpretação simultânea, por cerca de meio euro por cada cidadão europeu por ano. O custo da DG da Interpretação para o contribuinte é de 0,21 €/cidadão/ano.

Como é organizada a interpretação?

A DG da Interpretação fornece intérpretes para cerca de 50 a 60 reuniões por dia em Bruxelas e noutros sítios. As combinações de línguas nas reuniões variam consideravelmente, podendo ir da interpretação consecutiva entre duas línguas - para a qual é apenas necessário dispor de um intérprete - até à interpretação simultânea para e de 24 línguas ou mais (simetria total), o que requer a presença de, pelo menos, 72 intérpretes.

Instituições diferentes têm necessidades diferentes. Regra geral, os representantes eleitos (isto é, os Ministros nas reuniões formais, nas sessões plenárias do Comité das Regiões ou do Comité Económico e Social) beneficiam de uma cobertura linguística simétrica total, enquanto os funcionários e os peritos beneficiam de toda uma série de combinações variáveis, em função das necessidades reais e dos recursos disponíveis.

A cobertura de todas estas combinações linguísticas exige o recurso às diferentes técnicas de interpretação simultânea: interpretação directa, relais (interpretação a partir de uma terceira língua: tradução da língua A para a língua B e desta para a língua C por intérpretes que trabalham a partir de B), interpretação bi-activa ou retour (o mesmo intérprete que trabalha de A para B trabalha também de B para A) e cobertura linguística assimétrica (os participantes podem falar várias línguas, mas a interpretação só é feita para algumas delas).

A DG da Interpretação em números

  • 600 Intérpretes funcionários
  • 300 - 400 Intérpretes independentes (free-lance) por dia
  • 3000 Intérpretes independentes (free-lance) acreditados
  • 50 - 60 Reuniões por dia
  • 10000 – 11000 Dias de reunião por ano
  • ±135000 Dias-intérprete por ano
  • 40 Conferências importantes da Comissão organizadas por ano
  • Custo total de funcionamento em 2010: 130,000,000 €
  • Custo: 0.26 €/Cidadão europeu /ano
  • Interpretation in figures / 2012 pdf - 2 MB [2 MB]