Percurso de navegação

Entrevistas

Sessão de perguntas e respostas ao Presidente no Parlamento Europeu

15/12/2009

José Manuel Barroso © EC A futura estratégia económica "EU 2020" esteve no centro das atenções da última “hora de perguntas ao Presidente”, realizada ontem, em Estrasburgo. As regras do jogo eram meia hora de perguntas livres e meia hora com perguntas sobre o tópico do dia escolhido. "Não só temos de encontrar novas fontes de crescimento, mas também identificar aquilo que não correu bem com o modelo de crescimento anterior”, afirmou o Presidente José Manuel Barroso. O desafio para o novo modelo que vai suceder à Estratégia de Lisboa é conseguir a "titularidade plena" por todos os actores, desde os Estados-Membros ao Parlamento Europeu. Os deputados do Parlamento Europeu também questionarem o Presidente sobre as alterações climáticas e a actual situação económica na Grécia. Segundo as regras, os deputados do Parlamento Europeu tiveram um minuto para fazer as suas perguntas e José Manuel Barroso teve um minuto para responder.

Ver a hora completa de perguntas ao presidente english video

 

Somos o exemplo

08/12/2009

A Europa foi a primeira a possuir uma legislação restritiva, lembrou o Presidente José Manuel Barroso numa entrevista à rádio francesa Europe 1 transmitida em formato audiovisual no dia seguinte à abertura da Cimeira de Copenhaga. Explicou igualmente o que será, na sua opinião, a chave para o sucesso: "estarmos na posse de números concretos para a limitação dos gazes com efeito de estufa, que respeitem os dados da ciência, ou seja, um aumento máximo da temperatura em 2 graus centígrados, assim como mecanismos de financiamento para ajudar os países em vias de desenvolvimento, sobretudo os mais pobres, a se adaptarem aos esforços da redução."

 

Graças ao tratado de Lisboa, a Europa torna-se mais operacional

04/12/2009

Saúde, energia, combate às alterações climáticas. Numa entrevista à Euronews o Presidente José Manuel Barroso explica que a União Europeia pode agora fazer mais nestas áreas essenciais para os cidadãos. Com a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, as medidas serão a partir de agora tomadas mais vezes pela maioria do que de forma unânime, o que torna a Europa mais operacional. Esta será também a tarefa de Catherine Ashton, nomeada Alta Representante e Vice-presidente da Comissão. Na prática, será uma "espécie de Ministra dos Negócios Estrangeiros", segundo o Presidente, porque poderá falar em nome da Europa sobre questões de política externa tanto na Comissão, enquanto Vice-presidente, como no Conselho, onde presidirá a reunião dos negócios estrangeiros.

Ver o vídeo video [2'45"]