Percurso de navegação

Cimeira UE-Japão 2014

EC

Herman Van Rompuy, Presidente do Conselho, e Barroso, Presidente da CE, reuniram com o PM japonês, Shinzō Abe, na 22ª Cimeira UE-Japão, que decorreu hoje em Bruxelas.

Após a Cimeira, o Presidente Barroso apelidou o Japão de “pilar da política europeia para a Ásia e parceiro-chave e amigo no palco mundial” e disse:

“Esta Cimeira foi o testemunho do empenho do Japão e da UE em aprofundar e fortalecer a sua parceria e enfrentar em conjunto os desafios globais em evolução, capitalizando princípios e valores comuns.”

Recordou os laços económicos:

“Enquanto grandes agentes económicos, respondemos, em conjunto, por perto de 27% do PIB global, temos também uma responsabilidade partilhar de contribuir para o crescimento e criação de emprego globais.”

No centro da agenda da Cimeira estiveram as negociações paralelas de um Acordo de Parceria Estratégica e de um Acordo de Comércio Livre, iniciadas em Abril de 2013. O Presidente Barroso disse:

“Iniciámos, no ano passado, negociações para um Acordo de Parceria Estratégica e para um Acordo de Comércio Livre, que selará a nossa parceria estratégica e colocará os nossos princípios comuns em prática.

O Acordo de Parceria Estratégica permitir-nos-á ficar lado a lado em várias matérias de interesse comum na agenda global, da segurança às alterações climáticas ou à energia, e acredito que, quando Europa e Japão ficam lado a lado, aumentam bastante as possibilidades das coisas acontecerem.

As negociações de um Acordo de Comércio Livre entre dois grandes agentes económicos globais será, provavelmente, uma das mais importantes negociações comerciais dos próximos anos. Este será um acordo transformacional para ambas a economias, alicerçando várias reformas já em curso.

Os benefícios económicos em termos de crescimento e emprego são consideráveis,

Queremos que as negociações sejam bem-sucedidas.”

Foram também debatidos receios comuns em relação a cibersegurança e cooperação ao nível da Ciência, da tecnologia e da inovação, bem como ao nível das alterações climáticas.

No final foi debatida a situação na Ucrânia, incluindo a segurança energética. Sobre este assunto, o Presidente Barroso disse:

“Estive presente, há dias, na assinatura do Memorando de Entendimento que viabiliza o fluxo de gás natural da Eslováquia para a Ucrânia. Foi um importante primeiro passo para diversificar o fornecimento de gás para a Ucrânia e pode contribuir para uma maior segurança energética para a Europa de Leste e para a UE, no seu todo, além de mostrar o forte empenho da UE no apoio ao setor energético ucraniano.

Na semana passada, por proposta minha, o Comissário Europeu da Energia, Günther Oettinger, realizou uma primeira troca de ideias em trílogo com os seus homólogos ucraniano e russo, à volta da segurança do fornecimento e trânsito de gás da Rússia através da Ucrânia. Os três debateram a melhor forma de garantir o fornecimento e trânsito contínuos de gás, além de receios sobre a dívida a vencer e o preço do fornecimento do gás para a Ucrânia, além de métodos para aumentar a transparência e fiabilidade do fluxo e armazenamento de gás, bem como formas de garantir a modernização do mercado e do sistema de transmissão de gás da Ucrânia.”

Também presentes estiveram o Comissário Europeu do Comércio, Karel De Gucht, a Comissária Europeia da Investigação, Inovação e Ciência, Máire Geoghegan-Quinn, e o Comissário Europeu da Energia, Günther Oettinger.

Comentários do Presidente Barroso após a Cimeira UE-Japão

Relações entre UE e Japão e a 22ª Cimeira UE-Japão

Cimeira UE-Japão: o défice no comércio de produtos da UE28 com o Japão reduziu para 2,5 mil milhões de euros em 2013, com excedente de 9,2 mil milhões de euros no comércio de serviços