Percurso de navegação

Discursos

President Barroso at the European Council: 2013 a breakthrough year for EU

At the December European Council summit President Barroso summed up 2013 as "a breakthrough year in terms of getting Europe's economy back on track".

20/12/2013

Speaking at the final press conference following the European Council meeting in Brussels on 19-20 December, President Barroso said: "The euro is no longer in danger. Reforms are taking hold and this is slowly being felt by our citizens, the markets and our international partners. Yes, we have still very important problems - unemployment remains at an unacceptable level and we need to keep up the pressure to deliver growth measures – but the general economic situation is clearly improving. Europe is acting, Europe is working."

Banking Union

A clear demonstration of that fact is the unanimous political agreement on the Single Resolution Mechanism reached by EU finance ministers this week. President Barroso hailed this as "the beginning of the end of bank bail-outs". "Banks, not taxpayers, will carry the cost for their own mistakes", he said at a press conference on Thursday, following the first day of the summit.

The Single Resolution Mechanism is the last piece in the comprehensive reforms that the European Commission has been developing to create a thriving, yet more responsible, European banking sector.

"Over the past five years, we have radically changed the rules for banks in the European Union. We have now a single rule" said President Barroso. The fact that agreement has been reached "shows the EU can make swift progress even when issues are complex and politically sensitive".

President Barroso also highlighted the common rules for resolution of failed banks and for protecting taxpayer's deposits in the event of bank failures: "Today Europe's banks are better capitalised, better able to manage risks and better supervised."

Security and Defence

President Barroso also welcomed the decisions of the European Council on the security and defence: "We need a strong and credible Common Security and Defence Policy, so that Europe can play its full role on the world stage. This must be underpinned by a competitive and efficient security and defence sector."

He added: "With around one and a half million jobs and a turnover of ninety six billion Euros this is a sector that is very important for the European economy. This is primarily a task for the EU Member States, but the Commission can assist within its area of competences. In this sense we have already tabled proposals to strengthen the internal market and the competitiveness of our defence industry."

Three main themes were developed in the discussions: a genuine internal market for defence, a comprehensive industrial policy that creates opportunities for all Member States and industries of all sizes throughout the EU and synergies between civil research programmes, Horizon 2020, and those co-ordinated by the European Defence Agency.

"A stronger Common Security and Defence Policy is not a luxury", the President concluded. "It is in today’s world a necessity. It is also a pre-condition for a successful foreign and security policy. It's a great contribution for Europe's role in the world. And we believe, after today's discussion, that we can say that all Member States agree that a comprehensive EU response can make a difference."

Migration

Speaking after the close of the European Council summit on Friday, President Barroso recalled the tragic events which took place at Lampedusa. "Through our dedicated Task Force, we have worked out together a comprehensive, balanced and practical strategy to respond to this urgent and complex situation", he said. "We have  recommended 38 concrete actions [and]… set aside financial support of up to €50 million, including emergency funding. Implementation is now the key point".

Eastern Partnership Summit, Syria and the Central African Republic

Turning to the subject of recent international developments, President Barroso discussed the recent Eastern Partnership Summit and subsequent events in Ukraine. He reiterated that the EU remained committed to the signing of the agreement with Ukraine. "The continuing protests and demonstrations in the country show clearly where the Ukrainian people stand" President Barroso said. "They want freedom, they want prosperity, they want stability."

President Barroso emphasised that the EU's position of principle remains unchanged. "We want to be very clear that our partners must choose their path freely and of course with their full sovereignty. We are ready to stand by and support our partners in their reform process". President Barroso also drew attention to the important successes of the Vilnius Eastern Partnership Summit, including the initialling of the Association Agreements with Georgia and Moldova.

President Barroso then spoke about the "shocking and deteriorating" humanitarian situation in Syria and also the situation in the Central African Republic, where France recently intervened based on a UN Security Council resolution. He outlined the support that the EU is offering, observing that "all this simply underlines the crucial role that Europe is playing, and must continue to play globally."

Lithuanian presidency

At the final press conference on Friday, President Barroso paid tribute to the work of the Member States, the European institutions and the Council Presidencies throughout the year. He thanked President Grybauskaite in particular for her efforts in leading the Lithuanian Presidency in the second half of 2013. President Barroso gave his wishes for a merry and restful Christmas, and looked forward to an interesting and challenging year to come.     

Statement by President Barroso following the European Council, 19-20 December 2013

Read the speech

Watch the video of Day 1

Watch the video of Day 2

Council conclusions

EU offers UN partners 147 million euros for humanitarian aid in Syria

Today, President Barroso and Commissioner Georgieva received UN commissioners and offered an additional €147 million for Syria. The contract signed today is the largest ever for humanitarian aid between the Commission and its UN partners.

18/12/2013

 © EU

President Barroso and Commissioner Georgieva received Ms Valerie Amos, Under Secretary General and Emergency Relief Coordinator UNOCHA, Mr António Guterres, UN High Commissioner for Refugees, Mr Anthony Lake and UNICEF Executive Director and Ms Ertharin Cousin, World Food Programme Executive Director.

Together, they discussed the humanitarian situation in Syria, which continues to deteriorate dramatically. This is why the EU has mobilised further resources, which are channelled through mandated and professional humanitarian organisations, including the UN agencies, in accordance with humanitarian principles.

"I am proud that we can today commit 147 million euros to UNHCR, the World Food Programme and UNICEF. At the same time, we all know that a definitive solution for the conflict and for the dramatic humanitarian situation we are facing can only come from political negotiations", President Barroso said at a press event after the signing of the contract.

The President reiterated that the suffering of the Syrian people is a stain on the world's conscience and he urged other donors to step up their efforts.

"We call international donors to increase their financing to cope with the dimensions of this crisis. This will be our main message at the second pledging conference in Kuwait next month", President Barroso concluded.

Read the full statement

Read the press release

Atlantic Council to award President Barroso

The Atlantic Council’s President Frederick Kempe announced today the first three of the recipients of its “2014 Distinguished Leadership Awards”, to be presented on April 30 of next year in Washington, D.C. The European Commission’s President José Manuel Barroso is one of the awardees.

18/12/2013

© EU

Today the Atlantic Council announced that it will honour President Barroso for his “dedication to the cause of European integration and his role in ensuring that the benefits of that integration - stability, prosperity, and democracy - reach across an ever-widening vision of Europe”. It also said: “Assuming his office shortly after the ascension of ten new member states, President Barroso led the challenging process of integrating them into a still evolving Union, while also overseeing the inclusion of three more countries in the years since. He was a tireless advocate for the 2007 Lisbon Treaty, which strengthened EU governance and democracy; and through efforts to strengthen the European — and transatlantic — economy by building the EU’s Single Market, constructing new mechanisms for the Eurozone, and launching the effort to reach globally significant trade and investment accord with the United States, he has not shied away from any effort to bring more democracy and more prosperity to hundreds of millions of Europeans.”

For the past half century, the Atlantic Council has been a preeminent, nonpartisan institution devoted to promoting transatlantic cooperation on matters of global concern, including a broad spectrum of modern global challenges ranging from violent extremism to financial instability and from NATO’s future to energy security.

Each year the Atlantic Council honours several distinguished leaders for their versatile contributions to the strengthening of the transatlantic relationship. Last year, the award was presented among others to former US Secretary of State Hillary Clinton and to NATO Secretary General Anders Fogh Rasmussen.

President Barroso congratulates German Chancellor Angela Merkel on her re-election

Today, the President of the European Commission, José Manuel Barroso, sent a message of congratulations to Dr Angela Merkel, who was re-elected by the Bundestag as Federal Chancellor of Germany. In his message President Barroso qualifies her re-election as "both an endorsement of your past efforts and a signal of confidence for the coming years."

17/12/2013

 © EU

He underlines that "Germany and the European Union jointly face the challenge of pursuing the course of consolidation and reform" and highlights the "impressive efforts to counter the crisis" whose fruits "are already clearly visible and confirm that we are on the right track." President Barroso expresses confidence that "we now have the great opportunity to truly put this crisis behind us by generating sustainable growth and at the same time giving the European Union and the Eurozone in particular a credible and effective armoury against future risks. Not least with an eye to the forthcoming elections to the European Parliament in May 2014 we will, in this way, be sending out a clear signal on the side of responsibility and solidarity and against populism and irrationality."

Read President's full message

Read President's full message in German.

President Barroso congratulates Austrian Federal Chancellor Werner Faymann on his new term of office

The President of the European Commission, José Manuel Barroso, today sent a message of congratulations to Werner Faymann, who was sworn in as Federal Chancellor of the Republic of Austria.

16/12/2013

© EU

The President wrote that it is with pleasure that he is looking forward to continuing the close cooperation with the Chancellor in person and with his federal government. "The common challenges for Europe require a close partnership of responsibilities between the European Institutions and the governments of the Member States. I am convinced that Austria will continue to play a significant role within the European Union to perform these tasks", the President added.

Read the full message

Barroso visita o Canal do Panamá

O Presidente Barroso visitou hoje as obras de alargamento do Canal do Panamá, que deverão concluir até 2015 e visam duplicar a carga que passa pelo canal, inaugurado em 1914.

14/12/2013

© Commons

O comércio internacional e a indústria marítima beneficiarão diretamente com o alargamento, através de custos de transporte mais baixos, e o consumidor global acabará por beneficiar da maior capacidade e eficiência do Canal do Panamá.

Espera-se que o projeto potencie a posição estratégica do Panamá enquanto centro de transbordo e empresarial para boa parte da América Central e do Sul. Parte dos trabalhos de alargamento está a cargo de um consórcio liderado pela empresa espanhola Sacyr Vallehermoso (SVO.MC) e pela italiana Impregilo (IPGI.MI).

Ver o video

Assinado acordo de segurança de €28 milhões com Martinelli, do Panamá

Barroso visita o Panamá a 13 e 14 de Dezembro, começou com uma reunião bilateral com o Presidente Martinelli no Palácio Presidencial. Ambos já tinham reunido quando Martinelli visitou Bruxelas em Maio.

13/12/2013

© Commons

Os dois Presidentes debateram as relações bilaterais entre UE e Panamá e questões comerciais, além da segurança pública, uma grande preocupação na região. Após a reunião, foi assinado o projeto conjunto para apoiar o setor da segurança no Panamá, num montante de 28 milhões de euros, prova do empenho da UE em ajudar a combater os problemas de segurança nos países da América Central.

Watch the video

Barroso no Panamá: concedido estatuto de observador no SICA

Barroso irá à Cimeira UE-SICA em Buenaventura. Foi concedido à UE estatuto de observador e assinaram um acordo sobre o apoio da UE à estratégia de segurança centro-americana, para prevenção de violência e reforço institucional.

13/12/2013

© Commons

O projeto tem o valor de 21,5 milhões de euros e visa contribuir para a redução dos níveis de insegurança na América Central, de forma a criar um ambiente propício ao desenvolvimento socioeconómico e maior integração regional.

O Presidente Barroso participa na 42ª Cimeira do SICA, juntamente com seis países da América Central com os quais a UE concluiu o seu primeiro acordo de associação entre regiões (Panamá, Costa Rica, Nicarágua, El Salvador, Honduras e Guatemala), além de mais dois membros do SICA, Belize e República Dominicana, pertencentes ao grupo de Estados ACP.

A participação do Presidente Barroso na Cimeira do SICA segue-se à do Sr. Obama em Maio de 2013 e à do mexicano Peña Nieto em Fevereiro último. Barroso está convidado para discursar no início da Cimeira.

Ver o video

President Barroso and President Santos of Colombia agree to launch negotiations for a framework agreement

President Barroso met today with President of Colombia, Juan Manuel Santos Calderón, in Bogota. The two Presidents discussed the recent implementation of the EU-Colombia Trade Agreement, the solidarity and support of the EU to Colombia's peace and the future of their bilateral relations in the global context.

12/12/2013

© EU

President Barroso said today in Bogota that the Presidents have agreed to launch negotiations for a broad Framework Agreement, which would be extendable to different areas of cooperation.

President Barroso also highlighted the opportune moment of his visit to the country, where for the first time there is a real possibility of reaching peace. The President assured that the EU will continue to show solidarity towards Colombia. He also confirmed to President Santos the EU's willingness to provide financial support for the implementation of the agreement that could be reached.

Colombia will also be one of the few high-medium income countries that will continue to benefit from financial support from the next EU budget.

On trade, President Barroso acknowledged the EU-Colombia Trade Agreement signed in August as a fundamental step for the bilateral relations between Europe and Colombia, and called on the business community to take the opportunities offered by the deal. One example of this cooperation is the milk sector, which will benefit from a 30 million euro programme.

The issue of visas for Colombians to enter EU countries was also on the agenda. President Barroso stated that the improvement of the situation in Colombia could be followed by a future removal of Schengen visas for Colombia, but also indicated the need to carefully examine this issue before any decision is made.

During their meeting, the two Presidents also discussed the fight against climate change and how it can actively contribute to the reduction of poverty.

President Barroso also confirmed that the EU will continue to support Colombia's efforts to join the OECD.

President Barroso is paying a two days visit to Colombia. This is the first time that a President of the European Commission visits the country.

Watch the video

O dinheiro do Nobel da Paz paga educação a crianças de Colômbia e Equador

A UE dedicou a verba do Nobel da Paz de 2012 a projetos humanitários de apoio à educação de crianças vítimas de conflito. Na Colômbia, Barroso entregou 500 mil euros, pela iniciativa Crianças de Paz.

12/12/2013

© EU

A UE criou a Crianças de Paz em 2012 e investiu, através desta iniciativa, o prémio monetário do Nobel da Paz em projetos que propiciaram educação a 28 mil crianças vítimas de conflito em África, na América Latina e na Ásia, promovendo a educação e dando oportunidade da paz tornar-se duradoura, além de fazer de “crianças de conflito” “crianças de paz”.

Um dos projetos selecionados para financiamento aborda a educação em situação de emergência para crianças do Equador e da Colômbia, afetadas por conflitos internos neste país, onde os civis continuam a ser afetados pelas consequências humanitárias do conflito armado que dura há décadas.

A violência forçou os civis a fugirem para países vizinhos, essencialmente para o Equador e para a Venezuela. As crianças e adolescentes correm o risco de serem recrutadas por grupos armados e de ficarem feridas pelas minas terrestres, ameaças que, tal como a deslocação, podem perturbar a sua educação.

Na tarde de quinta-feira, hora local, o Presidente Barroso visitou a sede da Benposta – Nación de Muchachos, onde entregou 500 mil euros do prémio monetário.

Juntamente com a ACNUR, a Crianças da Paz da UE fornece, na Colômbia e no Equador, acesso a educação e bolsas de estudo, mas também formação em direitos humanos e apoio psicológico.

A iniciativa europeia Crianças de Paz irá além deste primeiro ano e tornar-se-á um símbolo do compromisso da UE para os necessitados em todo o mundo.

More on EU Children of Peace

More on EU Children of Peace in Colombia and Ecuador

Factsheet EU Children of Peace

Factsheet New Projects

Factsheet Colombia and Ecuador

Conselho Europeu 19 e 20 de Dezembro 2013

Maroš Šefčovič, Vice-Presidente da CE, declarou a posição desta  para a Cimeira europeia: avaliação da situação económica, a prioridade de acordar e aprofundar a união bancária e desejo de melhorar cooperação na defesa e segurança.

11/12/2013

 © EU

No início do discurso declarou que começamos a ver resultados, devido aos enormes esforços feitos na União Europeia: “Mas que fique bem claro que precisamos de manter os esforços, a recuperação não pode ser só par alguns, o desemprego e as dificuldades são ainda uma realidade para muitas famílias europeias e, por isso, não deixaremos a tarefa a meio. Esta continuará a ser a mensagem da Comissão, para vós e para o Conselho Europeu da próxima semana.”

É importante que a EU mantenha o rumo da reforma, como definido no Roteiro da CE para uma União Económica e Monetária Profunda e Genuína. O Vice-Presidente Šefčovič afirmou: “Concluir a união bancária deve ser o nosso objetivo mais imediato e importante. (…) O Conselho Europeu da próxima semana continuará assim a reflexão sobre os acordos contratuais e mecanismos de solidariedade associados.”

O segundo ponto principal na agenda do Conselho Europeu ser´a Política Comum de Segurança e Defesa, sobre a qual é clara a posição da CE: “Nunca foi tão crucial a necessidade de uma abordagem comum em questões de defesa”. Mais tarde explicou os motivos e seguiu para o terceiro ponto na agenda do Conselho Europeu, a política de migração: “A CE espera que o Conselho Europeu subscreva a necessidade de avançar com ações concretas provenientes do trabalho do Grupo de Missão para o Mediterrâneo.”

O Conselho Europeu fará também uma análise do progresso na implementação do Pacto para o Crescimento e o Emprego e os dois Atos para o Mercado Único. O Vice-Presidente Šefčovič disse: “Há notícias positivas a relatar, mas há ainda propostas importantes onde podemos, e devemos, fazer progressos durante este mandato. Os Estados-Membros devem cumprir os seus compromissos.”

Segundo o Vice-Presidente, espera-se que o próximo Conselho Europeu chegue a acordo sobre impulsos concretos para melhorar o acesso das empresas a fundos, em especial as PME.

Em conclusão, o Vice-Presidente Šefčovič sublinhou a posição da CE sobre a situação na Ucrânia: “Há que respeitar os valores e princípios europeus, algo que se aplica particularmente às autoridades ucranianas, mas aplica-se a todos, claro. Após o que aconteceu na noite passada, há que reiterar que a violência nunca é solução, esta deve ser encontrada através de meios políticos e esta solução deve ser alcançada através do diálogo com a oposição ucraniana e com a sociedade civil.”

Read the speech ( SPEECH/13/1058)

Statement on the current situation in Ukraine

During his opening speech at the New Narrative for Europe conference in Milan today, President Barroso also made the following remarks on the current situation in Ukraine: "European Union has the right and the duty to stand by the people of Ukraine in this very difficult moment, because they are giving to Europe one of the greatest contributions that can be given."

09/12/2013

 © EU

President Barroso said:

"My appeal to all the intellectuals, to all men and women of culture, to all citizens, is not to give up to this defeatism, is to have the courage to fight the negative forces because yes, the populist forces, the extremist forces are negative forces that are today under a theme that is very often an anti-European theme, making the revival of the all demons of Europe, like extreme nationalism, like xenophobia, sometimes racism – these are negative values.

It is important, in face of these challenges - instead of keeping ourselves in the comfort zone, namely the so called establishment parties - to have the courage to go out and fight, not to give up to those arguments, to explain with reasonable and rational arguments - sometimes for some of us with emotion - why we care about Europe, why Europe is something we must cherish precisely to defend these values.

And if sometimes in Europe some of us have doubts about how important these values are, just look at Ukraine. Those young people in the streets of Ukraine, with freezing temperatures, are writing the new narrative for Europe.

When we see in the cold streets of Kiev, men and women with the European flag, fighting for that European flag, it is because they are also fighting for Ukraine and for their future. Because they know that Europe is not just the land of opportunity in terms of economic development, because they have seen what happened in Poland or what happened in the Baltic countries, but also because Europe is the promise of hope and freedom. And I think the European Union has the right and the duty to stand by the people of Ukraine in this very difficult moment, because they are giving to Europe one of the greatest contributions that can be given.

Just yesterday I had a phone call – another one - with President Yanukovych. I asked him to show restraint in the face of these recent developments, to not use force against the people that are demonstrating peacefully, to respect fully the freedoms that are so important for all of us in Europe. I have asked him to receive the High Representative / Vice-President of the Commission Cathy Ashton who will be in Kiev already tomorrow and the day after tomorrow, so she can also have a role in trying to bring some solutions to the very tense situation that Ukraine is living today. And I hope that the European forces will show their commitment to our common project. Because it is not true that is it just in the Western part of Ukraine. No, most of the Ukrainians care about a future in peace and freedom. And I think we have this duty to recognise them today. Because precisely our history is a history of openness (…)."

Watch the statement

Read the statement

Results of the phone conversation between President Barroso and President Yanukovych of Ukraine, 8 December 2013

Results of the phone conversation between President Barroso and President Yanukovych of Ukraine, 2 December 2013

New Narrative for Europe: President Barroso attended the second general assembly in Milan

President Barroso took part in the general assembly on forms of imagination and thinking for Europe in Milan.

09/12/2013

 © EU

This was the second assembly organised within the framework of the project “New Narrative for Europe” proposed by the European Parliament and implemented by the European Commission following the call the President of the European Commission made in his State of the Union address in 2012.

The goal of this initiative is to invite artists, writers, thinkers, scientists and cultural practitioners to come up with a vision of Europe that can reconnect European citizens to the process of building the European Union in the present and in the future.

The key speeches were delivered by the President of the European Commission José-Manuel Barroso, the Prime Minister of Italy Enrico Letta and the Prime Minister of Slovenia Alenka Bratušek.

In the context of the event, President Barroso had a bilateral meeting with Prime Minister Letta and attended the signing of the EU's participation act regarding the world exhibition EXPO 2015 in Milan.

In his opening speech at the New Narrative for Europe conference President Barroso also made comment on the current situation in Ukraine. President Barroso said: "When we see in the cold streets of Kiev, men and women with the European flag, fighting for that European flag, it is because they are also fighting for Ukraine and for their future. Because they know that Europe is not just the land of opportunity in terms of economic development, because they have seen what happened in Poland or what happened in the Baltic countries, but also because Europe is the promise of hope and freedom. And I think the European Union has the right and the duty to stand by the people of Ukraine in this very difficult moment, because they are giving to Europe one of the greatest contributions that can be given."

President Barroso's speech at the New Narrative for Europe

Watch the video: General assembly: New Narrative for Europe

President Barroso's statement on the current situation in Ukraine

News on the on the current situation in Ukraine

President Barroso's statement on the signing ceremony of the EU participation in the Expo Milano 2015

Statement on the outcome of the WTO Global Trade talks in Bali

On learning of the outcome of the Bali talks, President Barroso said the following: "I'm delighted at the news this morning of the global trade deal in Bali.  This will give a real boost to the global economy. "

07/12/2013

© EU

President Barroso said: "Potential gains for the global economy could be as high as $1 trillion. Trade costs for mature economies will see reduced by 10%, the deal will help developing countries save around 325 billion euros a year and the agreement will bring vital help to the poorest people across the globe in the least developed countries.

The WTO is back on track and delivering reform. This is the first comprehensive WTO deal since 1995 which will deliver improvement on trade facilitation, development issues and agriculture, including food security.

The European Commission, on behalf of the European Union, has greatly contributed to this successful outcome. I would like to pay tribute to the central role that Commissioner de Gucht and his team have played to make this deal happens".

Relations UE-Suisse: Message de félicitations au Président désigné, Didier Burkhalter

Aujourd'hui, le Président Barroso a envoyé un message de félicitations au Président désigné de la Confédération suisse, Didier Burkhalter en soulignant que sa "présidence arrive à une année charnière pour les relations entre la Suisse et l'Europe."

06/12/2013

 © EU

"Le soutien important que vous avez reçu des parties à l'Assemblée fédérale est un signe très positif, aussi en vue des prochaines négociations portant sur le cadre institutionnel horizontal entre l'Union européenne et la Suisse. J'espère sincèrement qu'à partir des travaux préparatoires que nous avons engagés jusqu'ici, nous pourrons renforcer nos relations afin de trouver une solution permanente aux questions institutionnelles qui nous occupent depuis quelques années. Ceci permettrait la conclusion de nouveaux accords sur une coopération plus étroite entre la Suisse et l'Union européenne dans de nombreux secteurs, y compris l'électricité, les programmes d'échange pour la jeunesse, la recherche, l'audiovisuel et la culture, créant ainsi une situation avantageuse pour la Suisse et l'Union."

Lire le message

Nova narrativa para a UE: 2ª Assembleia-geral em Milão

Barroso participa na 2ª Assembleia-geral sobre formas de imaginar e pensar a Europa, em Milão, na noite de domingo e manhã de 2ª feira.

06/12/2013

© EU

É a segunda Assembleia organizada no quadro do projeto “Nova Narrativa para a Europa”, proposto pelo Parlamento e implementado pela Comissão, após apelo do seu Presidente, no discurso do Estado da União, em 2012.

O objetivo da iniciativa é convidar artistas, escritores, pensadores, cientistas e agentes culturais a criarem uma visão da Europa que volte a ligar os cidadãos europeus ao processo de construção da EU no presente e no futuro. Os principais discursos serão do Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, do Primeiro-Ministro italiano Enrico Letta e da Primeira-Ministra eslovena, Alenka Bratušek.

No contexto do certame, o Presidente Barroso terá um encontro bilateral com o PM Letta na 2ª feira e estará presente, no mesmo dia, na cerimónia de assinatura do ato de participação da UE, relativo à exposição mundial Expo 2015, em Milão.

"New Narrative for Europe" website

ARTE Interview with President Barroso

Barroso reúne com Plácido Domingo

Barroso reuniu com o conhecido tenor Plácido Domingo, presidente do “Europa Nostra”, para debater o Programa “Europa Criativa”, uma proposta da CE adotada pelo PE a 19 de Novembro, e outras questões culturais.

05/12/2013

© EU

José Manuel Barroso, Presidente da CE, recebeu Plácido Domingo em Bruxelas. Plácido Domingo preside ao “Europa Nostra”, um movimento de cidadãos pela salvaguarda do património cultural e natural da Europa.

Durante a reunião, Barroso sublinhou a atenção dedicada pela CE à cultura e património na UE, através de mecanismos de apoio concreto, como o Programa “Europa Criativa” e ações de património.

O programa “Europa Criativa” capitaliza a experiência e sucesso dos programas Cultura e MEDIA, que durante mais de 20 anos apoiaram os setores culturais e do audiovisual, e visa responder aos desafios enfrentados pelos setores culturais e criativos em termos de fragmentação, globalização e da mudança para o digital, gestão de dados e falta de investimento privado.

Sendo uma proposta da CE, foi adotado a 19 de Novembro pelo PE. O orçamento do programa para o período entre 2014 e 2020 foi definido em 1,46 mil milhões de euros, um aumento de 9% em comparação com os níveis atuais.

O Programa “Europa Criativa” foi adotado pelo Conselho e entrará em vigor a partir de Janeiro de 2014.

O património cultural da UE e as questões de direitos de autor, matéria de grande importância para a CE, estiveram também na agenda.

Watch the video

Mensagem conjunta sobre o falecimento de Nelson Mandela

Barroso, Presidente da CE, e Van Rompuy, Presidente do Conselho, expressaram votos de condolências pela morte de Nelson Mandela, “uma das maiores figuras políticas do nosso tempo”.

05/12/2013

Commons

Os dois Presidentes declararam, na sua mensagem conjunta: 

"É um dia triste não só para a África do Sul, mas para toda a comunidade internacional. Lamentamos a morte de uma das maiores figuras políticas do nosso tempo; Nelson Mandela não foi só fundamental na transição da África do Sul para o país democrático que é hoje. 

Nelson Mandela representa a luta contra o racismo, a violência e a intolerância, representa a justiça, a liberdade e o respeito pelos direitos humanos. Deu-nos a todos uma grande lição em termos de reconciliação, transição política e transformação social. Só alguém com a sua profunda humanidade, integridade moral, autoridade e visão clara para o futuro do seu país poderia alcançar tal feito.

Hoje estamos de luto, mas não há melhor forma de honrar a sua memória do que reafirmando o nosso compromisso coletivo em manter os valores da verdade e de democracia abrangente pelos quais Nelson Mandela pugnou incansavelmente.

Em nome da União Europeia, expressamos votos sinceros de condolências à família, ao governo e povo da África do Sul.” 

A pedido do Presidente Barroso, as bandeiras à entrada dos edifícios da Comissão Europeia estão a meia-haste.

Watch President Barroso's statement in EN

Watch President Barroso's statement in FR

 Watch President Barroso's statement in Portugese

President Barroso receives award for his work in dialogue and cooperation

Yesterday President Barroso received the 2013 Center for Global Dialogue and Cooperation's Award in Vienna in recognition of his work for global dialogue and cooperation.

04/12/2013

© EU

The award distinguishes President Barroso's "remarkable ability to foster positive global trends, his great contribution to the dissemination of values such as honesty, and transparency, as well as his active efforts in strengthening cooperation between diverse people and cultures".

In his acceptance speech, President Barroso stressed the importance of the global dialogue as a basis for working towards a common ground. He said: "To tackle global challenges together, you need a true dialogue, and not just parallel monologues. (…) Dialogue also demands both sides to listen with the same openness and to show some basic willingness to change their mind".

Center for Global Dialogue and Cooperation

Read President's speech

A futura Presidência é “grande oportunidade” para a Grécia

Barroso definiu a futura Presidência grega do Conselho de Ministros como uma “grande oportunidade” e disse que a CE apoiará para ser um sucesso.

04/12/2013

© EU

"Espero, e acredito, que a Presidência grega será uma grande oportunidade para mostrar que a Grécia não só é capaz de resolver os seus problemas com solidariedade europeia, mas também de dar um contributo importante para o projeto europeu”, disse o Presidente Barroso, após uma conferência de imprensa conjunta com o PM grego, Antonis Samaras.

Barroso falava após uma série de reuniões entre o Colégio de Comissários e vários membros do governo grego, antes da Presidência grega, em Janeiro de 2014. “Garanti ao PM Samaras e ao governo grego o nosso total apoio nos próximos seis meses de Presidência, e alegrou-me ouvir que as prioridades gregas estão bastante a par com as nossas,” disse o Presidente Barroso. “É uma altura crucial para a Europa, pois há que concluir legislação chave antes das Europeias de Maio.”
 
Em relação à economia, Barroso louvou o progresso grego sob o programa de assistência financeira da UE-FMI e disse que “o esforço está a compensar”, já que se espera que a economia volte a crescer no próximo ano. “A Grécia esteve perto da insolvência há algum tempo, perto de uma situação extremamente difícil, de uma perspetiva económica e social. Sei que foi com grandes sacrifícios, mas a Grécia pode agora olhar para o future com mais confiança,” disse o Presidente. “Quero dizer que valorize a determinação mostrada pelos cidadãos e autoridades gregos nesta época extremamente complicada e quero que saibam que a CE apoia ao Grécia e os esforços do seu povo na construção de um future melhor.”

Barroso acrescentou que a crise deu à Grécia uma perspetiva diferente da Presidência: “Com as lições aprendidas com a crise, a Grécia pode também liderar a UE, trazendo a sua sensibilidade especial a várias questões, desde os Balcãs à política marítima, que a Grécia conhece melhor do que a maioria dos Estados-Membros.”

O Presidente destacou também o contributo grego para a civilização europeia e mundial: “A Europa não o seria hoje sem o contributo da Grécia, da filosofia à matemática, do teatro à literatura, o mundo não seria o mesmo. É uma grande dívida que todos temos, na nossa civilização, à Grécia.”

Ler a declaração do Presidente 

Ver o vídeo

Barroso reúne com o Rei Abdullah II da Jordânia

Barroso reuniu 4ªa feira com o Rei Abdullah II da Jordânia, país com o qual a UE desenvolve uma parceria estreita, assente num Acordo de Associação em vigor desde 2002.

04/12/2013

President Barroso meets King Abdullah II of Jordan © EU

Na reunião, o Presidente Barroso apoiou  um aproximar ainda maior das relações entre UE e Jordânia na área do comércio e do investimento, oferecendo a possibilidade de negociar uma Zona de Comércio Livre Abrangente e Aprofundado (ZCLAA), que teria um impacto tangível na economia jordana, em termos de estímulo ao investimento e apoio ao processo de reforma da economia doméstica em curso.

Os dois líderes debateram também questões de mobilidade, em particular o lançar de negociações para uma Parceria para a Mobilidade em Janeiro de 2014.

O Presidente Barroso e o Rei Abdullah II abordaram também a operação de Assistência Macrofinanceira de até 180 milhões de euros, que a UE prepara, em resposta ao pedido da Jordânia. A assistência assumiria a forma de empréstimo a médio prazo e a Jordânia seria o primeiro parceiro entre a vizinhança a Sul a beneficiar deste instrumento financeiro excecional. Além disso, a UE aumentou significativamente o apoio ao desenvolvimento da Jordânia (101 milhões de euros adicionais em fundos do programa SPRING desde 2011), que faz a cooperação bilateral da UE com a Jordânia ascender aos 324 milhões de euros no período entre 2011 e 2013.

Sendo a Jordânia um agente importante no Médio-Oriente, o Presidente Barroso e o Rei Abdullah II abordaram a promoção da paz, da estabilidade e da prosperidade na região. Sobre a Síria, Barroso deu a sua visão sobre apoio humanitário e ao desenvolvimento em resposta à crise síria, próxima já dos dois mil milhões de euros. Além disso, o auxílio da UE a refugiados e comunidades de acolhimento na Jordânia atinge os 224 milhões de euros. Os líderes trocaram também opiniões sobre a Conferência Genebra II, a realizar-se em Janeiro de 2014.

Mais sobre as relações entre UE e a Jordânia

Mais sobre as relações políticas

Ver o vídeo

“A relação entre a Noruega e a UE não é boa, é excelente!”

Na 3ª, Barroso recebeu a PM norueguesa Erna Solberg na sua 1ª visita a Bruxelas e destacou que a relação entre a UE e a Noruega é sólida e valiosa para as duas partes.

03/12/2013

President Barroso welcomed the Norwegian Prime Minister Erna Solberg © EU

Na reunião, o Presidente Barroso e a PM Solberg discutiram a cooperação entre a UE e a Noruega, baseada essencialmente no Espaço Económico Europeu (EEE) e nos Acordos de Schengen.

"Vi hoje com bons olhos a intenção do novo governo norueguês de seguir uma política europeia ainda mais ativa, primeiramente através do acordo EEE, e fico ansioso por colaborar com a Primeira-Ministra e com a sua equipa para esse fim.”

Barroso acrescentou: “O anúncio do governo de levantar a reserve da Noruega face à incorporação da Terceira Diretiva relativa aos Serviços Postais no Acordo EEE é um sinal encorajador e esperamos receber boas notícias como esta no futuro.”

Outras questões, como relações comerciais bilaterais, um novo acordo multilateral sobre a pesca de cavalas e sobre energia, estiveram também na agenda. Relativamente à energia, o Presidente disse: “Uma parte substancial do abastecimento energético da EU vem da Noruega, fornecimento benéfico e seguro para as duas partes. É do nosso interesse comum alargar esta cooperação aberta, fiável e transparente. Valorizamos bastante a Noruega como parceiro energético, um parceiro fiável da União Europeia. Hoje debatemos informalmente com a Primeira-Ministra a nossa possível política futura em termos de clima, trocámos perspetivas sobre o futuro das renováveis e sobre as possibilidades de algumas interligações entre a Noruega e a UE.”

O Presidente Barroso agradeceu também à Noruega pelo seu contributo para com a UE e pelo apoio em questões globais, como a migração e concluiu dizendo: “A relação entre a Noruega e a UE não é boa, é excelente!”

Ler a declaração completa

Ver o vídeo

Turismo – papel vital para a UE e vice-versa

Cerca das 12h15, Barroso discursará na 17ª Cimeira do Turismo, em Berlim.

02/12/2013

© EU

Barroso recordará os benefícios mútuos do turismo e da integração europeia, além de sublinhar, particularmente, a importância das quatro liberdades do Mercado Único para um setor do turismo em crescimento.

Deverá dize: “Se o real propósito do projeto europeu é não unificar Estados, mas unir povos, a importância do setor do turismo para este objetivo é enorme. Mais do que nunca, ao longo das décadas, a viagem dos cidadãos europeus do seu país para outros países europeus aproximou-nos. Na sua experiência, o viajar tornou a unidade europeia tangível, benéfica e atrativa. O turismo tornou ainda mais natural ser-se ‘europeu’, logo contribuiu para o criar da uma identidade europeia, com base na diversidade cultural da Europa. Ao mesmo tempo, a Europa é de importância vital para o setor do turismo. O que seria hoje do turismo sem as quatro liberdades do Mercado Único europeu? Sem a livre circulação de bens, serviços, divisas e, claro, de pessoas.”

 Sublinhará também a importância económica do turismo e o papel deste como indicador do nosso desempenho de crescimento e da confiança do consumidor. Chamará a atenção para o facto de o turismo ter resistido e recuperar agora da crise melhor do que outros setores. Recordará que a integração dos mercados para benefício de empresas e consumidores, algo também crucial para o turismo, é um esforço continuado e destacará de que não há forma de voltar-se ao ‘antigo normal’, mas que caminhamos para um ‘novo normal’, com base num novo modelo de crescimento que tornará a UE mais resiliente e competitiva.

Espera-se que o Presidente Barroso caracterize o turismo como “um motor poderoso da procura interna, na Alemanha, por exemplo, onde este tema é objeto de um importante debate, mas é também importante no importante exercício de reequilíbrio europeu alargado, já que a Europa do Mediterrâneo teve um desempenho acima da média nos últimos anos.” Recordará que esta região é o principal destino de férias do mundo, com 18% de quota de Mercado: “A Espanha abre o caminho, com 34 milhões de turistas entre Janeiro e Julho, e um crescimento de 4% nas chegadas internacionais, em comparação com o ano passado. Grécia (+ 9.2%), Malta (+10 %) e Portugal (+8 %), todos apresentaram um crescimento saudável, mais motivos para estimar a indústria do turismo para o crescimento da Europa e para a geração de emprego."

Por fim, Barroso recordará como a CE visa estimular a competitividade do setor do turismo, ao criar um ambiente favorável para empresas e para a cooperação entre Estados-Membros.

Mais informações:

O discurso sera transmitido aqui.

Read the President's speech

Video from the summit

Resultado de uma conversa telefónica com o PR ucraniano, Yanukovych

O PR ucraniano Yanukovych ligou ao Presidente da CE, Barroso, e este destacou cinco pontos na atual situação de tensão na Ucrânia.

02/12/2013

© EU

O Presidente Barroso disse:

1. Todas as partes devem mostrar contenção;

2. Todos os direitos e liberdades cívicos devem ser respeitados;

3. Há que investigar rapidamente o uso da força por parte da Polícia;

4. É fundamental que as autoridades ucranianas envolvam urgentemente as forças políticas relevantes;

5. Só uma solução política e pacífica fará a Ucrânia sair da situação atual.

O Presidente Yanukovych concordou com esta abordagem e confirmou explicitamente a intenção de investigar o uso da força por parte da Polícia ucraniana e de informar o público dos resultados do inquérito.

Durante esta chamada telefónica, o presidente ucraniano pediu à CE que recebesse uma delegação ucraniana para debater alguns aspetos do Acordo de Associação e da Zona de Comércio Livre Abrangente e Aprofundado. O Presidente Barroso confirmou que a CE está a postos para receber tal delegação ao nível adequado.

Este sublinhou que a CE está pronta a debater aspetos de implementação já rubricados relativos aos acordos, mas não a abrir qualquer tipo de negociação.

Estes termos foram aceites pelo presidente Yanukovych e ficou decidido que o agendamento e o nível deste encontro deve ser acordado através dos canais diplomáticos adequados.