Percurso de navegação

Notícias

Papel-chave da indústria numa Europa mais forte e mais verde

"A Europa precisa da produção e a produção precisa da Europa", disse o Presidente Durão Barroso ontem durante o seu discurso no Fórum Europeu para a Indústria, em Bruxelas. "A produção está no centro da agenda europeia e é um elemento vital no nosso percurso para o crescimento sustentável e a criação de emprego na União Europeia."

29/11/2012

EC

Organizado pelo Conselho dos Empresários Europeus das Indústrias da Metalurgia, Engenharia e Novas Tecnologias (CEEMET) e a Associação Europeia das Indústrias de Engenharia (ORGALIME), a reunião centrou-se no manifesto de política "Produzir uma Europa mais forte e mais verde". O Presidente Durão Barroso sublinhou o papel e o envolvimento ativos da indústria como sendo cruciais para os objetivos de um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo da agenda da Europa 2020.

"A indústria pode também gerar a elevada produtividade necessária para relançar o crescimento sustentável: desde o pior momento da crise, em 2009, a produtividade industrial aumentou uns impressionantes 35%. Além disto, só a indústria pode melhorar a eficiência energética e dos recursos para proporcionar crescimento sustentável no atual contexto de escassez mundial de recursos e elevados preços energéticos", disse.

Através da sua comunicação sobre "Uma política industrial mais forte para o crescimento e a recuperação", adotada em outubro, a Comissão apoia o setor através de várias iniciativas, incluindo a facilitação do investimento e o apoio à inovação para a indústria.

Ler o discurso

Ver o vídeo

A inovação social é uma força poderosa para modernizar a economia da Europa

"A Responsabilidade Social Corporativa é uma parte inseparável da reconstrução de uma economia europeia competitiva a nível mundial baseada na inovação, na confiança e nos valores europeus", disse hoje o Presidente Durão Barroso no seu discurso na Cimeira Empresarial 2020, em Bruxelas.

29/11/2012

EC

"É um mecanismo para garantir que os nossos valores são bem defendidos aqui na Europa e partilhados de forma mais alargada noutras partes do mundo", continuou. O Presidente lembrou que o crescimento económico sustentável pode ser alcançado, entre outros, através de uma abordagem responsável aos negócios. Insistiu também sobre a necessidade de "soluções inventivas" numa altura em que a Europa enfrenta importantes desafios sociais, como elevados níveis de desemprego jovem e o envelhecimento da população, em particular porque o futuro orçamento 2014-2020 vai ser inferior ao que a Comissão desejava.

Ler o discurso

Ver o vídeo

Next Multiannual EU budget must be focused on growth and jobs

At their meeting on Tuesday, President Barroso and President of the Economic and Social Committee Mr Nilsson agreed that the EU budget for the period 2014 – 2020 should reflect its potential to make a very significant contribution to generating growth and jobs in Europe.

28/11/2012

EC

President Barroso urged the members of the Economic and Social Committee to back such a budget, known as the Multiannual Financial Framework (MFF), in ongoing debates in their home countries: "In the end all 27 member states are net-beneficiaries of their membership and this should be made clear," said President Barroso.

The President also briefed President Nilsson about the outcome of the European Council last week. Discussions on the follow-up to the Rio 2020 conference were also held, focused on the importance of mainstreaming environmental sustainability in all EU policies.

The Commission presents a Blueprint for a deep and genuine economic and monetary union

"We must counter this crisis of confidence by showing that we are ready to move ahead and strengthen cooperation and integration in the financial, fiscal, economic and also in the political field. That is what the Blueprint on a Deep and Genuine EMU seeks to achieve."

28/11/2012

EC

The Blueprint presented today is the Commission contribution to the report of the four presidents to be presented to the European Council in December. It identifies the weaknesses in the functioning of the current Economic and Monetary Union (EMU) and maps out the measures needed to underpin it in future.

Read the Blueprint

Read the executive summary

"Of course we know that there will be some that will be calling for more discipline. Some will be calling for more solidarity. The main message of the Blueprint is that we need both. We need a process in the economic and monetary union of combining this increased solidarity with this increased discipline, so to make the EMU really credible, and to deepen it, to become a genuine economic and monetary union," said President Barroso.

The measures proposed in the Blueprint include short term, medium term and long term perspective. Many of them can be accomplished through secondary legislation. Some of the longer-term proposals presented will require a Treaty change

In the short term – in the next 6 to 18 months – we are putting forward an ambitious work programme including the start of the fiscal capacity for the Euro Area. It would combine the strong commitment to concrete structural reforms with financial support for them, set out in contractual arrangements between Member States and the Commission. It would be granted for reform packages that are important both for the Member States concerned and for the good functioning of EMU. Another thing we can do without Treaty change in the short term would be to set up a single resolution mechanism for banks.

In the medium term, which is in the next 18 months to 5 years, the collective conduct of budgetary policy and also coordination of economic policies need to be strengthened. Given a clearly reinforced economic and fiscal governance framework we could envision the set-up of a debt redemption fund linked to strict conditionality, as well as the issuance of short-term eurobills, requiring of course a closer coordination and supervision of Member States' debt management. These further steps would require a new legal basis in the Treaties.

Beyond five years, the blueprint proposes a full banking, fiscal and economic union equipped with a true stabilization and shock-absorbing function. This would require a more comprehensive overhaul of the Treaties.

Read the Blueprint

Read the executive summary pdf - 35 KB [35 KB] English (en)

Read the press release on the Blueprint

Blueprint: Frequently Asked Questions

Watch video of the press conference

Read more about the 2013 Annual Growth Survey adopted on the same day

Declaração sobre a Grécia

"Estou satisfeito com o acordo alcançado esta manhã pelo Eurogrupo relativamente à Grécia", disse hoje o Presidente Durão Barroso numa declaração".

27/11/2012

(c) EU

O acordo "destaca os esforços contínuos da Comissão para ajudar a orientar a implementação rápida do programa e assegurar o apoio adequado à Grécia até que esta volte aos mercados", continuou o Presidente. Disse também: "As autoridades gregas demonstraram um forte compromisso com o programa e a Comissão saúda os esforços feitos pelos cidadãos gregos neste momento difícil. A Comissão continua convicta de que estes esforços vão contribuir para um melhor futuro para o povo grego."

ver o video

Reunião com organizações filosóficas e não confessionais

O Presidente Durão Barroso reuniu-se hoje com representantes de organizações filosóficas e não confessionais. Durante a reunião foram debatidas as formas de fortalecer a solidariedade entre as gerações na Europa.

27/11/2012

(c) EU

A Europa "não deve poupar esforços para trabalhar em conjunto e restaurar a solidariedade entre as nações, entre os Estados, entre os ricos e os pobres, e entre os idosos e os jovens", disse o Presidente Durão Barroso depois da sua reunião com as organizações filosóficas e não confessionais.

O assunto da reunião, copresidida pelo Presidente do Conselho Europeu e o Vice-Presidente do Parlamento Europeu, foi a "Solidariedade intergerações: definir os parâmetros para a sociedade futura na Europa".

O Presidente Durão Barroso foi muito claro: "A solidariedade é um valor fundamental da União Europeia. É o elemento aglutinador que mantém as nossas sociedades unidas. Contudo, a atual crise é um verdadeiro teste de resistência aos nossos valores europeus. Em tempos de crise, o valor acrescentado da União e das suas políticas e instituições comuns são muitas vezes proclamados em palavras mas nem sempre traduzidos em ações e meios, como se pode ver, por exemplo, na cimeira da semana passada sobre o nosso próximo orçamento."

Ler a declaração completa do Presidente

Mais sobre a reunião

Lista de participantes

Ver o vídeo

Ver as fotografias

Debate sobre o resultado do Conselho Europeu para o próximo orçamento 2014-2020

"A Comissão continua a defender um orçamento moderno que coloque o crescimento e a criação de emprego no seu centro. Acredito que nas próximas semanas podemos alcançar progressos e, claro, iremos trabalhar no consenso necessário para chegarmos a um acordo em tempo útil" disse o Presidente Durão Barroso numa reunião com a conferência de presidentes do Parlamento Europeu onde partilhou as suas opiniões sobre o resultado do Conselho Europeu sobre o futuro orçamento 2014-2020.

27/11/2012

"Na cimeira da última semana tivemos as negociações mais difíceis e complexas de sempre sobre o QFP" disse o Presidente, tendo referido as principais razões para isso: 1) o clima económico na União, 2) o número de Estados-Membros envolvidos, e 3) o facto de pela primeira vez na história estarmos a falar sobre um verdadeiro corte na atual dimensão do orçamento. Para além disto, o Presidente lembrou que os Estados-Membros têm concedido cada vez mais responsabilidades às instituições europeias para lidarem com a resposta à crise, mas também para seguirem o Tratado de Lisboa. "Acredito que todas as instituições europeias não devem ser privadas dos meios para cumprirem com as tarefas exigidas por essas responsabilidades", disse, ao mesmo tempo que fez um apelo a um "serviço público europeu forte, independente e competente". "A realidade é que o orçamento da UE é pequeno, somente cerca de 2% das despesas públicas totais na UE e 1% do RNB da UE. A Comissão levou a cabo, e ainda está a executar reformas mais ambiciosas na sua administração", continuou.

Por último, o Presidente Durão Barroso insistiu na importância do respeito do princípio do jogo limpo nestas negociações difíceis e reafirmou a determinação da Comissão em continuar a esforçar-se por um "orçamento moderno que coloque o crescimento e o emprego no seu centro".  "Precisamos de um orçamento que permita à UE estar à altura das suas responsabilidades internas e no mundo nos próximos sete anos", concluiu.

Ler o discurso

Mais sobre o Conselho Europeu especial sobre o próximo orçamento 2014-2020

Ver o vídeo

Orçamento futuro: Conselho Europeu Especial – trabalhar para o consenso

"Acredito que nas próximas semanas poderão ser alcançados progressos e, claro, vamos trabalhar para colmatar as lacunas necessárias para obtermos um acordo em tempo útil", disse o Presidente Durão Barroso depois dos membros do Conselho Europeu terem concluído que é necessário mais tempo para mediar um acordo sobre o futuro orçamento.

23/11/2012

EC

"Penso que agora os chefes de Estado ou de governo e todos os membros do Conselho Europeu compreendem melhor as posições de cada um. Deste ponto de vista, foi um debate realmente construtivo", disse o Presidente Durão Barroso.

O Presidente enfatizou que não só a quantidade, mas também a qualidade do produto final, é importante, e explicou os cinco critérios e um objetivo prioritário para a Comissão – modernizar o orçamento para que tenha um maior impacto na criação de crescimento e emprego.

Para o Presidente Durão Barroso os cinco critérios de qualidade do futuro orçamento são:

- uma massa crítica de investimento pró-crescimento nas infraestruturas na Europa para que o mercado único funcione;

- garantia de que a política de coesão está em sintonia com a nossa estratégia económica e de crescimento e que beneficia os nossos cidadãos e empresas na Europa;

- assegurar que o orçamento continua a ser uma alavanca para a reforma contínua da nossa política agrícola comum;

- mostrar solidariedade com as pessoas mais afetadas pela crise na Europa e manter os nossos compromissos com os mais pobres do mundo;

- e tornar o financiamento do orçamento europeu mais justo, mais transparente e mais simples.

O Presidente Durão Barroso reiterou a dimensão relativamente pequena do orçamento europeu, representado cerca de 2% da despesa pública na Europa e 1% do RNB da UE. Recordou que a Comissão está empenhada em que essa quantia de dinheiro limitada seja usada num orçamento modernizado que coloque o crescimento e o emprego no seu centro, fazendo, ao mesmo tempo, um apelo a todos para um compromisso.

Ler a declaração completa do Presidente

Ver o vídeo da conferência de imprensa

Ler o discurso do Presidente no Parlamento Europeu na quarta-feira

Ver o vídeo do primeiro dia do Conselho Europeu (bilaterais e mesa redonda)

Presidentes Durão Barroso e Van Rompuy acolhem com agrado proclamação do cessar-fogo em Gaza

"Estamos muito satisfeitos com o cessar-fogo que acabou de ser proclamado em Gaza e que era exigido pela União Europeia e a comunidade internacional," disseram os Presidentes numa declaração conjunta, na quarta-feira à noite.

22/11/2012

EC

"É agora crucial assegurar a sua implementação e evitar o reiniciar da violência. Os eventos dos últimos dias enfatizam a necessidade urgente de avançarmos para uma solução com dois Estados permitindo a ambas as partes viverem lado-a-lado em paz e segurança. A União Europeia continua determinada em trabalhar para apoiar a concretização deste objetivo," continuaram.

Também reiteraram o seu profundo pesar pela perda de vidas em ambos os lados e transmitiram as suas condolências às famílias das vítimas mortais.

Ler mais sobre a recente visita do Presidente Durão Barroso a Israel e aos Territórios Palestinianos Ocupados em Julho de 2012

Cadre financier pluriannuel 2014-2020: écoutez la voix des citoyens européens

Dans son discours au Parlement européen, un jour seulement avant le Conseil européen extraordinaire, le président Barroso a souligné: "L'enjeu c'est la prospérité et la stabilité de l'Europe, c'est la compétitivité économique et la cohésion sociale."

21/11/2012

EU

"De la stratégie Europe 2020 jusqu'aux conclusions du Conseil européen de juin 2012, les déclarations en faveur d’une croissance durable et créatrice se sont multipliées. Reste donc à savoir maintenant comment les gouvernements vont mettre en cohérence leurs déclarations et leurs actions" le Président a souligné.

"Les décisions sur le futur cadre budgétaire de l'Union européenne sont un test clé de notre crédibilité. Car notre principal instrument pour investir dans la croissance et la création d’emplois c’est le budget européen." Le président a ensuite rappelé que le budget européen n'est pas un budget pour Bruxelles! " Plus de 94% du budget sont entièrement dédiés aux citoyens européens."

Selon le Président Barroso même les petites coupes dans le budget proposé peuvent affecter un grand nombre de personnes et d'entreprises. Il a fait référence au fort soutien récemment exprimé en faveur des propositions de la Commission.

Le Président a appelé: "Alors je demande aux gouvernements qui seront à Bruxelles d'écouter la voix des Prix Nobel de la science qui nous rappellent que l'avenir de l'Europe dépend de la recherche et de l'innovation.

La voix des étudiants Erasmus qui veulent la meilleure des éducations.

La voix de leurs régions, des organisations européennes d'entreprises et des syndicats qui nous disent à quel point les investissements sont importants pour la croissance. La voix des chômeurs à qui l'Europe doit donner des perspectives d'avenir.

La voix des entrepreneurs qui attendent des investissements dans les infrastructures pour connecter l'Europe par le transport, l'énergie, le numérique.

La voix des banques alimentaires contre la faim qui ne comprendraient pas que dans l'émergence sociale actuelle on laisse tant de pauvres sans espoir.

La voix de nos partenaires internationaux, des organisations humanitaires, des enfants qui, à travers le monde, nous disent que sans l'Union européenne ils n'auraient pas d'espoir.

Et je demande aux gouvernements européens d' d'écouter aussi la voix de ce Parlement démocratiquement élu."

Il a conclu en lançant un appel au compromis: "Bien sûr le propre d'une négociation c'est de parvenir à des compromis. Et donc la Commission va à la réunion du Conseil européen avec l'esprit du compromis, mais attention - des compromis qui doivent être constructifs. Des compromis qui doivent renforcer l'Europe et non pas contribuer à détruire l'Europe. Et chacun doit y participer. L'essentiel est que nous ayons un budget qui soit vraiment catalyseur de croissance et d'emplois."

Lire le discours entier

Read the speech in English

Regarder la vidéo du discours (Cliquez en bas à droite sur la vidéo pour d'autres langues)

Plus d'information du Cadre financier pluriannuel 2014-2020

Congratulações ao anúncio do RU: Irlanda do Norte receberá a Cimeira do G8 em 2013

Os Presidentes Durão Barroso e Van Rompuy mostraram-se satisfeitos por a Cimeira do G8 de 2013, sob a presidência do Reino Unido, ser realizada na Irlanda do Norte e confirmaram a sua participação a 17 e 18 de junho de 2013. "Estamos ansiosos por trabalhar com o primeiro-ministro Cameron para uma presidência com sucesso do G8."

20/11/2012

EC

"A escolha deste local sublinha a transformação que teve lugar da Irlanda do Norte, para a qual a União Europeia contribuiu, nomeadamente através do Programa PEACE para o financiamento de projetos que ajudam a reconciliar as comunidades," afirmaram numa declaração.

Presidentes Durão Barroso e Hollande reúnem-se antes da cimeira europeia

Durante um encontro muito cordial, os dois Presidentes trocaram opiniões sobre as principais questões europeias, nomeadamente sobre as negociações em curso sobre o futuro quadro financeiro da União Europeia para 2014-2020, assim como sobre a situação económica.

19/11/2012

EC

Tratando-se do futuro quadro orçamental da União Europeia para 2014-2020, o Presidente Durão Barroso e o Presidente Hollande concordaram sobre o papel decisivo que o orçamento europeu pode e deve ter na alavancagem do crescimento e do emprego, com prioridades políticas claras e investimentos direcionados.

O Presidente Durão Barroso também sublinhou o caráter essencial dos investimentos futuros em matéria de investigação e inovação, assim como do financiamento das grandes redes pan-europeias que visam "ligar a Europa", tendo também mencionado o valor acrescentado das políticas comuns e de uma política de coesão.

Mostrou-se satisfeito por partilhar com o Presidente Hollande a "determinação de trabalhar num resultado que todos os Estados-Membros possam apoiar no Conselho Europeu da próxima semana".

O Presidente Durão Barroso sublinhou a importância da contribuição ativa e construtiva da França nas negociações sobre o mecanismo único de supervisão bancária para que se consiga chegar a um acordo antes do fim do ano.

Ler a declaração completa

Ver o vídeo da reunião

Reunião com o Presidente do Haiti

"Por vezes, a ajuda humanitária da União Europeia é a diferença entre a vida e a morte para muitas pessoas em todo o mundo", disse o Presidente Durão Barroso depois da sua reunião com o Presidente Martelly. Insistiu na importância deste aspeto durante as conversações sobre o futuro do orçamento europeu durante o Conselho Europeu desta semana.

19/11/2012

Président Martelly (c) EC

A Comissão Europeia e o Haiti vão trabalhar em conjunto nas próximas semanas para identificar os setores onde a ajuda da UE deve ser prioritária, como a educação, a reforma do setor de segurança e o tráfico de estupefacientes.

O Presidente Durão Barroso felicitou também o Presidente e o governo do Haiti pelo "trabalho considerável que visa fazer progressos nas reformas, melhorar a capacidade de planificação estratégica do governo e assegurar a retoma na coordenação da ajuda internacional".  Em particular, insistiu sobre a necessidade de retomar a coordenação da ajuda internacional: "Todas as partes interessadas, partidos políticos e instituições haitianas, têm de trabalhar em conjunto para encontrar os compromissos necessários para ultrapassar os bloqueios atuais. O desafio é primordial porque trata-se de responder às expectativas da população haitiana, que enfrenta ainda enormes dificuldades e condições de vida precárias."

Ler a declaração do Presidente Durão Barroso

Ver o vídeo

Apelo a laços mais estreitos entre a União Europeia e as nações da América Latina

No discurso proferido na 22.ª Cimeira Ibero-Americana, em Cádis, Espanha, o Presidente Durão Barroso disse: “Nenhuma outra parte do mundo está mais próxima da Europa do que o continente americano. Somos aliados naturais e desenvolvemos um relacionamento de interdependência cada vez maior.”

17/11/2012

EC

Sublinhou também o imenso potencial de uma cooperação mais profunda para o crescimento económico e os fluxos de comércio internacionais: “Os laços mais estreitos entre a UE, o maior mercado mundial em termos de valor, e algumas das economias em rápida expansão localizadas na América Latina, são vantajosos para ambas as regiões.”

Ler o discurso completo (em espanhol)

President Barroso and Spanish Prime Minister Rajoy exchange views on Spanish and EU budgets

Ahead of the European Council on 22 and 23 November, the leaders stressed the importance of the EU budget for creating conditions for investment to growth and jobs in Europe. On Spain, they both welcomed that Spain has taken effective measures correcting its excessive deficit.

16/11/2012

EC

President Barroso expressed his appreciation for significant efforts that the government and the Spanish people are making to ensure the sustainability of public finances - efforts that are assuming major sacrifices for a large part of the population - and to boost competitiveness of the Spanish economy.

"The European Commission is using all the tools at its disposal to restore growth in Europe and thus create jobs and address the serious social problems currently facing European citizens," said President Barroso.

Joint statement in Spanish

Watch the video

Acordo sobre auxílio às pessoas mais carenciadas na Europa

O Presidente saudou o apoio da Federação Europeia dos Bancos Alimentares e de cinco instituições de caridade à proposta da Comissão para criar um Fundo de Auxílio Europeu às Pessoas mais Carenciadas na União.

27/08/2012

José Manuel Barroso receives a delegation from the European Federation of Food Banks (FEBA) © EU

Esta proposta foi adotada pela Comissão a 24 de outubro de 2012. "Aguardo com expectativa que os Estados-Membros e o Parlamento Europeu adotem esta proposta e o orçamento que a acompanha com a rapidez que se impõe, para que os apoios possam chegar às pessoas de que deles necessitam sem demora. Conto assim com a Federação Europeia dos Bancos Alimentares e outras instituições de caridade para defender o apoio a esta proposta junto dos Estados-Membros e do Parlamento," declarou o Presidente.

O Fundo de Auxílio Europeu às Pessoas mais Carenciadas destina-se a apoiar a ação dos Estados-Membros na distribuição de alimentos às pessoas mais carenciadas, bem como vestuário e outros bens essenciais aos sem-abrigo e às crianças em situação de privação material. A Comissão previu um orçamento de 2,5 mil milhões de euros para o Fundo durante o período de 2014-2020, enquanto parte da sua proposta de junho de 2011 relativa ao Quadro Financeiro Plurianual.

10.º aniversário do Acordo de Associação com o Chile

No encontro com o Presidente do Chile, Piñera, o Presidente Durão Barroso expressou o seu apreço pela expansão na área da cooperação nos últimos anos. Os dirigentes também debateram a próxima cimeira UE – CELAC que terá lugar no Chile, em janeiro de 2013.

15/11/2012

EC

"O Chile é um dos parceiros mais próximos da União Europeia na América Latina," disse o Presidente Durão Barroso, referindo-se ao Acordo de Associação Chile-UE assinado em 2002, celebrando assim o seu 10.º aniversário este ano. Este acordo teve um papel importante no aprofundamento das relações comuns, em particular no comércio – desde 2003, o comércio bilateral cresceu 230% atingindo o valor máximo de 18 mil milhões de euros em 2011.

Existem muitas áreas que podem beneficiar de uma cooperação ainda mais profunda entre a UE o Chile. "Hoje, decidimos cooperar de forma ainda mais estreita para promover novas tecnologias," disse o Presidente Durão Barroso.

O Presidente expressou também a sua esperança de que a cimeira UE-CELAC (Comunidade dos Estados da América Latina e Caraíbas) seja um evento coroado de êxito. Durão Barroso elogiou o compromisso pessoal do Presidente Piñera com os trabalhos preparatórios da cimeira, a realizar nos dias 26 e 27 de janeiro, no Chile, e que será dedicada ao ”Investimento de qualidade”.

Ver o vídeo da reunião

Comissão acolhe com agrado iniciativa dos laureados com o prémio Nobel para o investimento na investigação e na inovação

O Presidente Durão Barroso recebeu uma delegação liderada pelos laureados com o prémio Nobel, Sir Tim Hunt e o Professor Jules Hoffman. Apresentaram-lhe uma carta aberta que enfatiza a importância do financiamento europeu na investigação e que alerta para as consequências dos cortes orçamentais nesta área.

15/11/2012

EC

A carta foi assinada por 44 laureados com o prémio Nobel e 6 medalhistas do prémio Fields. Mais de 130 000 pessoas na Europa e em todo o mundo também assinaram o apelo.

O Presidente Durão Barroso disse: "Estou muito satisfeito com o apoio... Um euro investido na investigação e na inovação a nível europeu tem um maior impacto do que um euro gasto a nível nacional. É por isso que a Comissão Europeia propôs um aumento substancial do financiamento para a investigação no próximo orçamento da UE, através do programa Horizonte 2020. Apelamos aos dirigentes europeus para considerarem esta iniciativa e chegarem a um acordo para um orçamento futuro ambicioso e orientado para o crescimento na próxima reunião do Conselho Europeu especial, a 22-23 de novembro."

Ler a carta/petição

Ler o comunicado de imprensa da Comissão

Dinheiro do Prémio Nobel da Paz para ajudar crianças vítimas da guerras e conflitos

A Comissão Europeia aceitou hoje oficialmente o dinheiro do Prémio Nobel da Paz em nome da União Europeia e informou que tenciona canalizá-lo em favor das crianças vítimas de guerras e conflitos em todo o mundo.

14/11/2012

EC

O Presidente Durão Barroso afirmou, "O Prémio Nobel da Paz simboliza a reconciliação em todo o mundo. A recompensa financeira deve beneficiar a nossa principal esperança para o futuro, mas também as principais vítimas dos conflitos presentes e passados: as crianças."

O montante de cerca de 930 000 euros será destinado às crianças mais necessitadas. Nas próximas semanas, a Comissão tomará uma decisão sobre as modalidades precisas do projeto, nomeadamente o processo de seleção dos beneficiários e os aspetos jurídicos e orçamentais.

Em 12 de outubro de 2012, o Prémio Nobel da Paz de 2012 foi atribuído à União Europeia. Será oficialmente recebido em conjunto, a 10 de dezembro, na Cerimónia de Atribuição do Prémio Nobel, em Oslo, pelo Presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso, o Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e o Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

Os Presidentes serão acompanhados por quatro jovens europeus, vencedores do concurso lançado hoje pela União Europeia. "Peace, Europe, Future: Que significa para ti a paz na Europa?" é a pergunta colocada a jovens de 8 - 24 anos de idade de países da UE, países em vias de adesão ou países candidatos. As crianças com idades entre os 8 e 12 anos devem expressar a sua resposta num desenho, e os jovens entre os 13 e 24 anos, devem redigir um pequeno texto com um máximo de 120 carateres, em qualquer uma das línguas oficiais da UE. Qualquer jovem nestas faixas etárias pode participar. O concurso decorrerá até 25 de novembro, meia-noite, hora da Europa Central. O júri selecionará três vencedores (um por grupo etário), enquanto que o quarto será selecionado numa votação pública no Facebook.

Ver o vídeo

Comissão reage à grelha de negociação do Presidente do Conselho Europeu

Apesar da nova grelha de negociação preservar o equilíbrio e a ordem das prioridades da Comissão, são previstas reduções significativas nas quantias gerais atribuídas. A Comissão vai cooperar de forma construtiva para chegar a um resultado que todos os Estados-Membros e o Parlamento Europeu possam apoiar.

14/11/2012

EC

Ler a declaração completa

Debate sobre o Quadro Financeiro Plurianual com os Amigos da Coesão em Bruxelas

Na cimeira dos Amigos da Coesão, o Presidente Durão Barroso fez um apelo a todos os chefes de Estado e de governo para que fosse feito um esforço adicional no sentido de se chegar a um consenso no Conselho Europeu especial, de 22 a 23 de novembro, e a um acordo com o PE até final do ano.

13/11/2012

EC

O Presidente também reiterou o seu apelo feito na reunião de outubro, em Bratislava, dos Amigos da Coesão onde disse que gostaria de "ver os Amigos da Coesão e os Amigos de Melhor Despesa unidos numa grande coligação como os Amigos do Crescimento, uma verdadeira coligação europeia para a Europa".

Acolheu com satisfação o apoio de vários atores da sociedade civil. Os parceiros sociais europeus, como a Business Europe e a Confederação Europeia dos Sindicatos, que também estiveram presentes na reunião, apoiam a medida para o crescimento. Os artistas e os cientistas também apoiam esta medida, defendendo programas europeus concretos, como o Erasmus para todos ou o Horizonte 2020, assim como os empresários europeus que defenderam o plano da Comissão para investir em infraestruturas estratégias nos transportes, na energia e na Internet (o "Mecanismo Interligar a Europa").

"Espero que estes argumentos sejam ouvidos no Conselho Europeu. Espero que no Conselho Europeu os chefes de governo não considerem somente de uma forma restrita aquilo que definem como interesse nacional. Mas que pensem também em termos europeus e sobre como é importante alcançar um consenso sobre o orçamento para a Europa", concluiu o Presidente.

Ler a declaração na conferência de imprensa

Ler o discurso da reunião

Ver o vídeo

Colaboração com a Geórgia para uma democracia estável, o comércio e a segurança regional

O Presidente Durão Barroso felicitou os líderes georgianos por orientarem a transição para o novo governo depois das recentes eleições. Encorajou também o primeiro-ministro a continuar a defender os princípios democráticos e o Estado de Direito.

12/11/2012

Primeiro-ministro da Geórgia, Bidzina Ivanishvili © EU

"A Geórgia é um membro-chave da Parceria a Leste e a União Europeia está empenhada em trazer o país para mais perto da Europa," disse o Presidente Durão Barroso na declaração proferida depois de reunir-se com o novo primeiro-ministro georgiano, Bidzina Ivanishvili, em Bruxelas, na segunda-feira.

"A melhor forma de alcançar isto é concluir as negociações sobre um Acordo de Associação, incluindo uma Área de Comércio Livre Abrangente e Aprofundado," continuou, acrescentando que tanto ele como o primeiro-ministro esperam que as negociações possam ser concluídas a tempo da Cimeira da Parceria a Leste em 2013.

Por último, o Presidente Durão Barroso sublinhou o compromisso da UE com a integridade territorial da Geórgia. Através das Conversações Internacionais de Genebra e da Missão de Monitorização, a UE tem um papel importante na garantia da segurança da Geórgia. "Continuaremos a ser um parceiro comprometido também nesta frente," disse.

Mais informações sobre a Parceria a Leste

Ver o vídeo da reunião

Vídeo: empresários apoiam fortemente o Mecanismo Interligar a Europa

A menos de dez dias do Conselho Europeu especial de 22-23 de novembro sobre o futuro orçamento da UE para 2014-2020, os empresários expressam o seu forte apoio ao Mecanismo Interligar a Europa (MIE) num clipe de vídeo, produzido pela Comissão Europeia em três línguas (EN, FR, DE).

12/11/2012

EC

Representantes de topo da Ericsson, RATP, EirGrid, Telekomunikacja Polska, HSBC, Alstom, General Electric, IBM, Airbus ProSky e GDF-Suez, assim como a Agência Internacional da Energia e o primeiro-ministro da Estónia, não deixam dúvidas sobre a necessidade de melhores interligações na Europa nos setores dos transportes, energia e Internet para impulsionar o crescimento e a competitividade da Europa; sobre a necessidade de ação europeia através do Mecanismo Interligar a Europa; e sobre o forte potencial para alavancar as finanças privadas através desta iniciativa de 50 mil milhões de euros. O apelo surge numa altura em que, nas atuais negociações sobre o futuro orçamento, as reduções substanciais que afetam o MIE são mais prováveis.

Mais de 1000 pessoas, incluindo mais empresários do Porto de Roterdão, Porto de Antuérpia, ÖBB, Maersk, Ferrovie dello Stato, Pirelli, Volvo, Deutsche Post DHL, Aeroporto de Munique, entre outras empresas, já assinaram a declaração de apoio ao Mecanismo Interligar a Europa. Clique aqui para assinar também! Acompanhe os eventos no Twitter com #connectingeurope.

Ver o vídeo

Assinar a declaração

Ler mais sobre o Mecanismo Interligar a Europa

Mensagem de felicitações ao Presidente Obama pela sua reeleição

"Temos o prazer de expressar as nossas cordiais felicitações ao Presidente Obama pela sua reeleição como Presidente dos EUA," disse o Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e o Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, numa declaração conjunta esta manhã.

07/11/2012

President Obama © EU

"Os Estados Unidos são um parceiro estratégico crucial para a União Europeia e estamos ansiosos por continuar a cooperação estreita estabelecida com o Presidente Obama ao longo dos últimos quatro anos para reforçar ainda mais os nossos laços bilaterais e abordar em conjunto os desafios globais, incluindo nas áreas da segurança e da economia.

A criação de crescimento e de emprego continua a ser uma prioridade tanto para os EUA como para a UE, e vamos continuar a trabalhar com o Presidente Obama para desbloquear o potencial excecional do mercado transatlântico. Estamos também preparados para continuar a nossa cooperação intensa nas questões de política externa e na promoção dos nossos valores comuns. Estamos ansiosos por nos reunirmos com o Presidente Obama numa data próxima para reafirmarmos as nossas prioridades e fornecer um impulso renovado à nossa ação conjunta."

9.ª Reunião Ásia-Europa: a Europa é um parceiro comprometido da Ásia

"A mensagem que queremos transmitir nesta reunião é muito clara: a Europa é um parceiro asiático comprometido e queremos estar ainda mais presentes nesta parte do mundo," disse o Presidente Durão Barroso na conferência de imprensa dada depois da 9.ª Reunião Ásia-Europa.

06/11/2012

President Barroso at the ASEM (c) EU

"Nestes dois dias tivemos a oportunidade de debater o desenvolvimento desta interdependência de uma forma vantajosa para ambas as partes, para as nossas regiões e para o resto do mundo," continuou o Presidente.

Os dirigentes debateram a situação económica e financeira e como somente uma abordagem integrada por parte da Europa e da Ásia, assim como de outras economias importantes, pode restabelecer o crescimento sólido, sustentável e equilibrado.

Contudo, a economia é somente uma dimensão da parceria Europa-Ásia e o Presidente Durão Barroso expressou a sua satisfação por esta cimeira ter permitido aos líderes abordar também questões mundiais importantes, como as alterações climáticas e a economia verde.

"Ambos enfrentamos o desafio de assegurar um crescimento sustentável e inclusivo... A degradação ambiental não é sustentável, a desigualdade e a pobreza extrema não são sustentáveis. Sobre isto, reafirmamos o nosso compromisso com o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio e de trabalharmos juntos no acompanhamento da Cimeira Rio+20 e na preparação da Conferência sobre as alterações climáticas, em Doha."

Concluiu encorajando os países da ASEAN no sentido de uma maior integração na região que é também uma base importante para aprofundar o diálogo inter-regional, como a Reunião Ásia-Europa.

No seu discurso de abertura o Presidente Durão Barroso sublinhou o papel central das relações Europa-Ásia no mundo atual e a importância de abordar os desafios mundiais em conjunto.

"Representamos metade da população mundial, mais de metade do PIB mundial e 55% do comércio mundial… Mas, mais importante do que as estatísticas e os números, é a vontade política comum para abordar em conjunto os desafios atuais. Esta relação é de facto fundamental para a prosperidade e a segurança mundiais," disse o Presidente Durão Barroso.

Recordou o papel crucial da Europa no recente desenvolvimento da Ásia, tanto através de parcerias comerciais, como através da ajuda ao desenvolvimento direcionada para as pessoas mais pobres na região. Encorajou também uma abordagem conjunta aos desafios comuns; "alcançar o desenvolvimento sustentável num planeta de recursos finitos é um desafio que só podemos abordar em conjunto," disse.

Continuou, afirmando: "A União Europeia está a desenvolver uma estrutura sólida para as relações com a Ásia, baseada em três pilares: os Acordos de Parceria, para debater e cooperar em questões específicas de interesse comum, desde políticas à ciência, cultura e assuntos sociais; os Acordos de Comércio Livre para aumentar a prosperidade através de uma maior abertura das nossas economias; e a cooperação multilateral, onde este fórum, a Reunião Ásia-Europa, é o principal exemplo."

A Cimeira ASEM9 reúne 51 parceiros da ASEM da Europa e da Ásia. A Noruega, a Suíça e o Bangladeche estarão presentes pela primeira vez. As conversações de dois dias vão centrar-se nas questões económicas, financeiras, mundiais e regionais, e na cooperação social e cultural, assim como na direção futura da ASEM e das relações Ásia-Europa.

Mais antecedentes sobre a ASEM9

Read the President's statement following the summit

Ver o vídeo do discurso de abertura

Ver o vídeo da conferência de imprensa dada depois da reunião

Watch the video of the 9th Asia/Europe Summit with the participation of José Manuel Barroso

Comércio e investimento na agenda na Tailândia

Durante a sua primeira visita oficial à Tailândia, o Presidente Durão Barroso reuniu-se com a primeira-ministra Yingluck Shinawatra. O debate centrou-se no reforço das relações políticas, comerciais e de investimento.

04/11/2012

EC

O trabalho sobre um Acordo Bilateral de Parceria e Cooperação UE-Tailândia e o Acordo de Comércio Livre foram os principais aspetos debatidos.

Ambos os dirigentes afirmaram o seu compromisso firme para uma conclusão antecipada do Acordo de Parceria e o início das negociações sobre um Acordo de Comércio Livre, em inícios de 2013. "Estes dois documentos essenciais serão os pilares para reforçar as bases das relações entre a Tailândia e a UE," afirmaram numa declaração conjunta.

Na conferência de imprensa, dada depois da reunião, o Presidente Durão Barroso também sublinhou a importância que a UE dá à estabilidade política na Tailândia. Elogiou a determinação do governo com a reconciliação nacional e encorajou-o a "não poupar esforços" a este respeito.

O Presidente mostrou o seu apreço pelo papel proativo da Tailândia na melhoria da colaboração dos países da ASEAN (Associação das Nações do Sudeste Asiático) e encorajou ainda maiores resultados nesta área. "A Tailândia pode ser um centro económico nesta parte do mundo e, politicamente, pode contribuir para orientar a ASEAN no sentido de posições comuns sobre questões mundiais e regionais. A UE e a ASEAN são parceiros naturais; queremos que a ASEAN tenha sucesso, e acreditamos que uma ASEAN forte será bom para prosperidade do Sudeste Asiático e para a estabilidade na região mais alargada. Assim, contamos com a Tailândia e a Tailândia pode contar connosco para aprofundar a integração regional na Ásia," disse.

Ver o vídeo da Tailândia

Apoiar a paz duradoura no Mianmar

No sábado, 3 de novembro, o Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e o ministro do Gabinete do Presidente do Mianmar, Sua Excelência U Aung Min, assinaram uma Declaração Conjunta no Centro para a Paz do Mianmar, em Rangum.

03/11/2012

President Barroso meets Daw Aung San Suu Kyi © EU

O Centro para a Paz do Mianmar, criado por decreto presidencial, será uma plataforma para o diálogo entre todos aqueles que se preocupam com o processo de paz étnico do Mianmar.

O Presidente Durão Barroso disse: "Hoje é uma ocasião realmente importante. A criação do Centro para a Paz do Mianmar é um passo fundamental para a reconciliação étnica e a paz duradoura no Mianmar. Aplaudo a iniciativa do Presidente U Thein Sein e da sua equipa, liderada pelo ministro U Aung Min. A UE vai apoiar o governo e todas as partes étnicas interessadas no percurso estimulante que têm pela frente."

Sublinhou o papel da UE no arranque do centro, que forneceu financiamento no montante de 700 000 milhões de euros. Esta quantia será seguida, mais tarde este ano, por um pacote considerável que também beneficiará as comunidades étnicas. No total, a UE fornecerá 150 milhões de euros para a assistência ao desenvolvimento no Mianmar, em 2012-2013, dos quais 100 milhões serão atribuídos ainda este ano. Destes fundos, 30 milhões de euros são destinados a apoiar atividades em áreas étnicas.

No seu discurso no centro, o Presidente Durão Barroso disse: "Ao visitar agora este Centro para a Paz e depois das minhas reuniões com o Presidente U Thein Sein, com o Presidente da Câmara dos Comuns, Thura Shwe Mann, e com Daw Aung San Suu Kyi hoje cedo, posso afirmar que a paz e a reconciliação estão ao alcance do Mianmar."

Encorajou a liderança do Mianmar a continuar a fomentar e a fortalecer a democracia no país, ouvindo as necessidades de toda a população, e continuando a libertar os restantes prisioneiros políticos, uma vez que "ninguém deve ser mantido na prisão por expressar as suas opiniões".

O Presidente também lembrou que a UE está pronta para mobilizar 4 milhões de euros para necessidades imediatas de ajuda humanitária, desde que seja garantido acesso às áreas afetadas.

A UE segue com atenção e apoia firmemente a transição pacífica no Mianmar. Reagiu com muita rapidez à saída do país do regime autoritário, suspendeu algumas medidas restritivas e forneceu ajuda ao desenvolvimento para o país. A Alta Representante/Vice-Presidente Catherine Ashton inaugurou um gabinete da UE no Mianmar, a 28 de abril, e o Presidente Durão Barroso reuniu-se depois com o Presidente da Câmara dos Comuns do Parlamento do Mianmar, Thura Shwe Mann, a 11 de maio.

Ver o vídeo do Mianmar