This site has been archived on (2014/11/01)
01/11/14

Percurso de navegação

Discursos

Declaração do Presidente Durão Barroso sobre o Chipre

"É extremamente importante assegurar a estabilidade financeira porque sem ela o Chipre vai provavelmente enfrentar um incumprimento desordenado esta semana. O Chipre precisará de recomeçar a verdadeira economia", disse o Presidente Durão Barroso na manhã depois do Eurogrupo ter alcançado um acordo sobre o programa para o Chipre.

20/02/2013

EC

Mas tarde, no domingo à noite, o Eurogrupo concordou sobre um pacote de 10 mil milhões de euros, equivalente a 55% do PIB do Chipre. O acordo foi antecedido por conversações ao mais alto nível com o Presidente do Chipre.

O Presidente Durão Barroso afirmou numa declaração na segunda-feira que o modelo de negócio do Chipre não era viável e não poderia oferecer prosperidade duradoura às pessoas do Chipre. Por isso, teve de ser encontrada uma solução.

Para além da estabilidade financeira, o Chipre terá de recomeçar a verdadeira economia. Desta forma, o Presidente Durão Barroso anunciou que será criado um Grupo de Trabalho para o Chipre, que fornecerá assistência técnica às autoridades cipriotas.

"Queremos aliviar as consequências sociais do choque económico mobilizando fundos de instrumentos da União Europeia e apoiando os esforços das autoridades cipriotas para restaurar a estabilidade financeira, económica e social. Vamos contribuir com mais competências para facilitar a emergência de novas fontes de atividade económica. A Comissão está ao lado do povo cipriota", disse.

O Presidente Durão Barroso fez também um apelo ao Chipre para mostrar unidade e responsabilidade na implementação dos acordos alcançados e a todos os Estados-Membros da União Europeia para mostrar solidariedade com o Chipre, que está a enfrentar desafios extraordinários.

Ler a declaração completa

UE e Japão negoceiam Parceria Económica e Acordos de Comércio Livre

O Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, o Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy e o Primeiro-Ministro japonês, Shinzo Abe, falaram hoje ao telefone na sequência do adiamento da 21.ª Cimeira UE-Japão.

25/03/2013

Recordando o estreitamento das relações UE-Japão desde a Declaração Conjunta de 1991 e a profunda transformação que o mundo tem vindo a atravessar nos últimos anos, os líderes são unânimes em afirmar que o Japão e a UE, parceiros globais com valores comuns, deveriam passar para um plano superior e mais estratégico nas suas relações, assegurando a sua perenidade. Comprometeram-se a intensificar os esforços comuns para a realização desse objetivo.

Os líderes decidiram iniciar negociações com vista a um acordo de cooperação política, global e setorial e um Acordo de Parceira Económica (APE)/Acordo de Comércio Livre (ACL) baseados na perspetiva comum sobre o âmbito e o nível de ambição fixados na determinação do seu alcance. Os líderes aceitaram iniciar as negociações em abril e expressaram o seu compromisso em celebrar estes dois acordos o mais cedo possível.

O APE/ACL deverá ser completo e abrangente e abordar todas as questões de interesse comum de modo a incentivar o crescimento económico, tanto no Japão como na UE, contribuindo assim para o desenvolvimento da economia mundial. O acordo de cooperação política, global e setorial deverá estabelecer uma base jurídica que promova uma parceria reforçada na abordagem de uma vasta gama de questões bilaterais e globais, enquanto parte de uma contribuição comum para a estabilidade, a segurança e o crescimento sustentável a nível mundial.

Os líderes reafirmaram o seu empenhamento global continuado em potenciar um crescimento assertivo, sustentável e equilibrado e em assegurar a estabilidade financeira da economia mundial. Neste contexto, os líderes trocaram impressões sobre a situação em Chipre, bem como sobre as intervenções mais alargadas que visam fortalecer a arquitetura da União Económica e Monetária. O Primeiro-Ministro japonês demonstrou estar ciente da importância dos esforços continuados da UE no sentido de garantir a estabilidade da economia europeia e confirmou que o Japão continuará a apoiar esses esforços. Destacou ainda as medidas políticas adotadas pelo seu Governo para revitalizar a economia japonesa. Reconhecendo a importância da ação política de ambas as partes no esforço para a recuperação da economia mundial, os líderes reafirmaram a necessidade de dar cumprimento a todos os compromissos assumidos no âmbito do G20 e a intenção de trabalhar em conjunto nesse contexto para atingir o objetivo pretendido.

Os líderes trocaram ainda impressões sobre a cooperação bilateral e questões regionais, incluindo a situação de segurança na Ásia Oriental, no Médio Oriente e na região do Sahel.

Os líderes decidiram marcar uma nova data para a Cimeira, tão rapidamente quanto possível, e exprimiram o desejo de que a mesma permita dar um novo impulso político à cooperação recíproca.

Ler a declaração conjunta

UE-Rússia: de uma "parceria de necessidade" para uma "parceria de opção"

"A União Europeia e a Rússia são de facto parceiros estratégicos porque somos realmente indispensáveis à segurança, ao desenvolvimento económico e à prosperidade de cada um", disse o Presidente Durão Barroso depois de uma reunião da Comissão Europeia e do governo russo em Moscovo.

22/03/2013

EC

A Comissão Europeia, liderada pelo Presidente Durão Barroso, reuniu-se com o governo russo, liderado pelo primeiro-ministro Medvedev, para conversações executivo-a-executivo, em Moscovo, a 21-22 de março.

"O êxito da cooperação e do diálogo não surgem por coincidência. São o resultado da motivação conjunta, das consultas contínuas, do respeito pelos compromissos assumidos e de soluções abertas a novas ideias. Uma parceria estratégica deve ser desenvolvida com base na confiança estratégia", disse o Presidente Durão Barroso.

Durante as conversações foram debatidas várias questões, do comércio ao transporte, da energia à mobilidade, da ciência à boa governação e ao Estado de Direito. O Presidente Durão Barroso destacou o comércio como um dos pilares da cooperação UE-Rússia. Comércio aberto, regras transparentes e rejeição do protecionismo são claramente parte da resposta para restabelecer o crescimento mundial, disse o Presidente. Igualmente, foi adotado o Roteiro UE-Rússia para a Cooperação Energética até 2050. "Este Roteiro é uma expressão da nossa vontade para desenvolver uma visão partilhada, políticas comuns e um objetivo conjunto para alcançar um Espaço Energético Pan-europeu até 2050, se não for antes."

Segundo o Presidente Durão Barroso, a cooperação entre a UE e a Rússia deve proporcionar benefícios concretos aos cidadãos, como é o caso da agenda para a mobilidade. "Hoje, avançámos no nosso debate sobre a facilitação de vistos melhorada e estamos quase a alcançar um acordo", disse o Presidente da Comissão, referindo também o progresso feito nas Medidas Comuns para um regime de isenção de visto.

Ler a declaração

Ler o discurso

Ler o comunicado de imprensa

Ver o vídeo

Mensagem de felicitações a Alenka Bratušek

O Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, enviou uma carta de felicitações a Alenka Bratušek pela sua nomeação como primeira-ministra da República da Eslovénia.

21/03/2013

Commons

"A sua nomeação tem lugar num momento crucial para a Eslovénia e a União Europeia como um todo. Estou convicto de que dará um contributo importante aos nossos esforços conjuntos para a definição bem sucedida de um novo acordo para a Europa e os seus cidadãos e para fortalecer a nossa União", disse o Presidente Durão Barroso.

Ler a mensagem completa

Presidente Durão Barroso encoraja uma "parceria de opção" com a Rússia e expressa preocupações sobre o Chipre

O Presidente José Manuel Durão Barroso e o primeiro-ministro Dmitry Medvedev abriram uma conferência de alto-nível sobre  a "Rússia – União Europeia: potencial para parceria". Referindo-se à situação no Chipre, o Presidente Durão Barroso disse que espera que seja alcançada uma solução.

21/03/2013

EC

Num discurso proferido hoje na conferência "Rússia – União Europeia: potencial para parceria", o Presidente Durão Barroso partilhou a sua convicção de que a UE e a Rússia "devem trabalhar de forma estreita não só porque temos, mas porque queremos".
 
O Presidente Durão Barroso encorajou um "novo Acordo UE-Rússia" assente na "confiança estratégica".
 
No final do seu discurso, o Presidente Durão Barroso afirmou estar "muito preocupado com os últimos desenvolvimentos no Chipre", em particular com as consequências para os cipriotas". Disse também: "a Comissão Europeia está preparada para ajudar a encontrar um acordo e, de facto, como sabem, estão a decorrer consultas entre o Chipre e os outros membros do Eurogrupo para se encontrar uma solução".  "Resolvemos no passado problemas maiores; espero que desta vez possamos também encontrar uma solução", concluiu.
 
O Presidente Durão Barroso encontra-se em Moscovo, a liderar a delegação da Comissão Europeia nas conversações executivo-a-executivo com o governo russo, liderado pelo primeiro-ministro Dmitry Medvedev.

Ler o discurso

Ver o vídeo

Ver os comentários do Presidente sobre a situação no Chipre

Watch the video of the visit to Russia

Declaração da Comissão Europeia sobre o Chipre

Desde o outono de 2011 que a possibilidade de assistência ao Chipre ao abrigo de um programa tem sido debatida pelas autoridades cipriotas com a Comissão. Em julho de 2012, o Chipre pediu formalmente assistência ao abrigo de um programa.

20/03/2013

EC

A necessidade de assistência tem origem essencialmente em problemas no setor bancário cipriota, que possuía dimensões insustentáveis para o tamanho da economia cipriota. Contudo, não foi possível concluir as negociações sobre um programa com o anterior governo cipriota.

Por último, no passado sábado, no Eurogrupo, houve um acordo unânime entre os Estados-Membros, incluindo o Chipre, sobre um programa que satisfizesse as condições definidas pelos Estados-Membros, o BCE e o FMI, para se emprestar ao Chipre 10 mil milhões de euros. Estas condições incluíram alcançar um nível aceitável de sustentabilidade da dívida e os parâmetros de financiamento correspondentes.

Apesar deste programa não corresponder em todos os seus elementos às propostas e preferências da Comissão, a mesma sentiu-se no dever de o apoiar uma vez que as alternativas apresentadas eram mais arriscadas e apoiavam menos a economia do Chipre.

Este programa não foi aceite pelo parlamento do Chipre.
Cabe agora às autoridades cipriotas apresentar um cenário alternativo que respeite os critérios de sustentabilidade da dívida e os parâmetros de financiamento correspondentes.

A Comissão fez todos os esforços para apoiar o Chipre e para trabalhar numa solução construtiva e controlável. Contudo, as decisões são tomadas pelos Estados-Membros e nenhuma decisão pode ser tomada sem a sua cooperação, incluindo a do próprio Chipre. A Comissão continua preparada para facilitar soluções e mantém o contacto com o Chipre, os outros Estados-Membros no Eurogrupo, as instituições da UE e o FMI. 

Relativamente ao imposto sobre os depósitos ABAIXO de 100 000 euros: a Comissão esclareceu no Eurogrupo ANTES da votação no parlamento cipriota, que uma solução alternativa que respeitasse os parâmetros de financiamento seria aceitável, de preferência sem tributar os depósitos abaixo de 100 000 euros. As autoridades cipriotas não aceitaram este cenário alternativo.

Comissão apresenta as próximas etapas para uma União Económica e Monetária efetiva e aprofundada

Na quarta-feira, a Comissão Europeia apresentou duas novas Comunicações sobre as próximas etapas para uma União Económica e Monetária (UEM) efetiva e aprofundada.

20/03/2013

EC

O objetivo das duas comunicações é fortalecer a coordenação e a integração da política económica na zona euro. Estas Comunicações seguem os compromissos feitos no Plano pormenorizado para uma União Económica e Monetária Efetiva e Aprofundada da Comissão, no passado mês de novembro, e responde aos apelos do Conselho Europeu para avançar com os trabalhos nestas duas frentes.

A Comunicação sobre a coordenação antecipada dos planos para importantes reformas da política económica contém opções sobre como organizar os debates a nível da UE sobre as reformas de política económica a grande escala nos Estados-Membros antes das decisões finais serem tomadas a nível nacional.

A Comunicação sobre um Instrumento de Convergência e de Competitividade (ICC) define opções para dois instrumentos: disposições contratuais para os Estados-Membros executarem reformas específicas e assistência financeira para ajudar os Estados-Membros a implementar estas reformas.

O Presidente Durão Barroso disse: "Com estas duas Comunicações, a Comissão está a impulsionar o processo de integração, tal como definimos no nosso Plano pormenorizado sobre uma UEM Efetiva e Aprofundada, no passado mês de novembro. Estas propostas – em particular o Instrumento de Convergência e de Competitividade – combinam a necessidade para mais disciplina a nível nacional com mais solidariedade a nível da UE. Apoiam a força da moeda comum e vão ajudar a impulsionar a competitividade, o crescimento e a criação de emprego da Europa."

Read the press release

For further information, see the Q&A

Read the Communication on a convergence and competitiveness instrument pdf - 73 KB [73 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr)

(Read in all languages)

Read the Communication on ex-ante coordination of reform plans pdf - 68 KB [68 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr)

(Read in all languages)

Read the Blueprint on a Deep and Genuine Economic and Monetary Union

Presidente Durão Barroso debate a competitividade com a chanceler Merkel, o Presidente Hollande e empresários

Na segunda-feira, o Presidente Durão Barroso participou numa reunião em Berlim com a chanceler alemã Merkel, o Presidente francês Hollande e empresários da Mesa Redonda de Industriais Europeus sobre a competitividade europeia.

19/03/2013

EC

Os assuntos em debate incluíram como a Europa pode gerar crescimento e emprego para os cidadãos. Na sua declaração antes da reunião, o Presidente Durão Barroso sublinhou uma consolidação fiscal impulsionadora do crescimento e a importância de se lidar com as consequências sociais da crise.

"De facto, o crescimento tem de ter origem no aumento da competitividade e da produtividade, não na criação de dívida. Vimos no passado que o crescimento artificial incentivado pela dívida artificial, quer seja pública ou privada, não é a solução", acrescentou.

O Presidente Durão Barroso sublinhou que a competitividade não é um fim em si mesma. "É essencial ao nosso sucesso económico, para o crescimento e o emprego. É também sobre vencer os desafios que o nosso modelo europeu de sociedade está a enfrentar. É sobre defender a nossa influência no mundo", disse.

O Presidente lembrou os progressos que têm sido feitos em vários países que estão a melhorar os saldos das suas contas correntes e os défices públicos. "Mas a crise continua, como podemos ver nas terríveis perspetivas de crescimento e nos níveis do desemprego jovem alcançados, assim como nos recentes desenvolvimentos no Chipre."

Na sua declaração, o Presidente Durão Barroso afirmou estar profundamente convicto de que a Europa possui a vontade de fazer mais e melhor. "Possui a inteligência para sobressair a uma escala global. Possui um modelo de sociedade do qual se pode orgulhar e que deve ser preservado e modernizado. E, ao mesmo tempo, possui a humildade para aceitar que muitos aspetos podem ser corrigidos e que podemos avançar para concluirmos muito do nosso trabalho"

Read the speech

See photos from the event

Watch the press statements

Missa inaugural do Papa Francisco e cerimónia de saudação em Roma

Prestando homenagem ao novo Papa e Chefe do Estado do Vaticano eleito, Sua Santidade Francisco, o Presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, participou na missa inaugural do Papa Francisco em Roma – juntamente com o Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e o Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz. Os três Presidentes participaram depois na Cerimónia de Saudação para os chefes de Estado.

19/03/2013

Papal insignia

Watch the video

See also – congratulations message to the new Pope Francis

Joint letter of congratulations to the new President of China

The President of the European Commission José Manuel Barroso, and the President of the European Council Herman Van Rompuy sent a joint letter to H.E. Mr Xi Jinping congratulating him on his appointment to the Presidency of the People's Republic of China.

15/03/2013

EC

In their letter Presidents Barroso and Van Rompuy stated:

"On behalf of the European Union, we would like to send you our congratulations for your appointment to the Presidency of the People's Republic of China and express our best wishes for your new position.

This year is particularly meaningful for the EU-China Comprehensive Strategic Partnership which celebrates its 10th anniversary since its establishment in 2013. The EU is convinced of the importance of bringing forward our relationship in these challenging times and at an important juncture for China's development.

We are confident that, under your leadership, the EU and China will continue to enhance their joint efforts to promote peace and security, strengthen their economic and trade partnership, address global challenges, encourage people-to-people exchanges and promote rule of law. The preparation of the next EU-China Summit foreseen in the autumn, in China will provide us with the opportunity of reinforcing our cooperation in a forward-looking way.

We are looking forward to further exchanges with you on these subjects at the next opportunity."

Joint letter pdf - 69 KB [69 KB] English (en)

Presidente Durão Barroso satisfeito com a aprovação do Conselho Europeu das principais prioridades económicas da UE para 2013

O Presidente Durão Barroso mostrou-se satisfeito com a aprovação, esta noite, das principais prioridades económicas para a UE em 2013 pelo Conselho Europeu. Numa declaração feita depois da primeira sessão da reunião do Conselho Europeu, o Presidente afirmou que a Análise Anual do Crescimento da Comissão é "uma abordagem equilibrada que vai dar frutos se a cumprirmos e se a implementarmos com determinação".

15/03/2013

EC

"Acredito que devemos manter a nossa estratégia porque já está a revelar resultados. A realidade é que em comparação com há um ano, o euro está mais estável e existem sinais de que a confiança está a começar a voltar com as taxas de juro e os spreads a diminuir, em geral", disse o Presidente.

Numa apresentação sobre o crescimento, a competitividade e o emprego feita antes do Conselho Europeu, o Presidente sublinhou que os desequilíbrios macroeconómicos na zona euro estão a ser reduzidos e a competitividade está a melhorar, em particular nos países do programa.

O Presidente Durão Barroso afirmou que são necessários progressos mais rápidos nas medidas para impulsionar o crescimento. "A Comissão apresentou uma série de propostas para estimular o crescimento. Na verdade, temos de acelerar a implementação. A implementação é muito baixa e muito lenta", disse.

Contudo, enquanto a situação macroeconómica está a melhorar em muitos indicadores e se mostra mais estável, o desemprego encontra-se num nível inaceitável. O Presidente disse: "Isto significa que temos de enfrentar a questão da justeza. A sobrecarga em muitos dos nossos cidadãos, em particular nos países do programa, está a tornar-se insuportável. Por isso, devem sentir que os esforços incríveis que estão a fazer têm uma razão de ser, que são distribuídos de forma justa e que são partilhados por todos os atores na sociedade, incluindo, aliás, pelo setor financeiro."

O Presidente Durão Barroso concluiu afirmando que a Comissão Europeia está a colocar a justeza e a dimensão social no centro da estratégia económica da União Europeia, com ações como o estabelecimento de equipas de ação para a juventude, o Pacote Emprego dos Jovens e a Iniciativa para o Emprego dos Jovens para implementar a Garantia para a Juventude: "Temos de trabalhar juntos, país a país, setor a setor, para vermos como as pessoas podem voltar ao mercado de trabalho."

Speech - Statement by President Barroso following the first session of the European Council

Presentations to the EU summit pdf - 790 KB [790 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr) , other languages available here

Watch the press conference after the first session of the European Council

Declaração depois da sessão final do Conselho Europeu

"Tivemos um debate substantivo na cimeira da zona euro sobre a análise da situação económica," afirmou o Presidente Durão Barroso no início da conferência de imprensa, tendo acrescentado: "O aspeto mais relevante é que para alcançar o crescimento sustentável precisamos realmente de aumentar a competitividade. E debatemos qual a melhor forma de alcançarmos isto."

15/03/2013

EC

Na sua declaração o Presidente Durão Barroso também falou sobre o desemprego jovem. Sublinhou que a Comissão avançou rapidamente para a Iniciativa para o Emprego dos Jovens e já esta semana apresentou as propostas necessárias para tornar esta Iniciativa numa realidade.

"Desde janeiro de 2012, a Comissão tem trabalhado com equipas de ação nos oito Estados-Membros com os níveis de desemprego jovem mais elevados. Juntos, direcionámos financiamento da UE para apoiar oportunidades de emprego para os jovens e ajudar as PME a obter acesso a financiamento. Os resultados foram positivos. No início deste ano, cerca de 16 mil milhões de euros de fundos da UE tinham sido mobilizados – duplicando a quantia que inicialmente estávamos à espera. Quase 800 000 jovens e 55 000 PME irão beneficiar disto. É claro que ainda há muito a fazer."

Segundo o Presidente da Comissão Europeia, possuímos simultaneamente elevados níveis de desemprego e défices de competências. A escassez de profissionais de TIC pode chegar aos 900 000 até 2015. "Existem oportunidades de emprego e temos de treinar os nossos jovens para as ocuparem," reiterou o Presidente.

"Hoje, ouvimos uma apresentação do primeiro-ministro Cameron sobre o G8. As três prioridades-chave, transparência, evasão fiscal e comércio, apresentadas pelo primeiro-ministro da Grã-Bretanha esta manhã, são questões sobre as quais a Comissão tem liderado o rumo nos últimos meses," continuou o Presidente Durão Barroso. Fez questão de clarificar que "o combate à evasão fiscal é uma prioridade porque todos devem pagar a sua parcela de impostos".

Relativamente ao comércio, o Presidente Durão Barroso disse que "é particularmente importante reafirmar o nosso compromisso com um sistema comercial multilateral sólido".

No que toca à Rússia, "temos de avançar de uma parceria de necessidade para uma parceria de opção," concluiu o Presidente.

Respondendo à pergunta de um jornalista sobre a estratégia económica da União Europeia, o Presidente Durão Barroso respondeu que a Comissão Europeia tem defendido a necessidade de reformas que são a única possibilidade de termos crescimento sustentável.

"É por isso que foi adotado um Pacto para o Crescimento e o Emprego," explicou, tendo acrescentado que temos de fazer mais. "Temos de combinar a política de solidariedade com a política de responsabilidade. Não se pode optar por uma ou outra. Não podemos opor o crescimento e a competitividade. Precisamos de ambos," disse o Presidente, e acrescentou: "Ao mesmo tempo, temos de possuir medidas mais direcionadas para o crescimento, que combatam, em particular, o principal flagelo do desemprego, ou seja, o desemprego jovem."

Ler o discurso completo

Ver o vídeo (Day 1)

Ver o vídeo (Day 2)

Felicitações ao novo Papa e Chefe do Estado do Vaticano recentemente eleito, Sua Santidade Francisco

O Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e o Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, enviaram uma mensagem conjunta de felicitações ao novo Papa e Chefe do Estado do Vaticano recentemente eleito, Sua Santidade Francisco.

14/03/2013

Commons

"Em nome da União Europeia, apresentamos as nossas sinceras felicitações pela eleição de V. Exa.

Desejamos-lhe um pontificado longo e abençoado, que permitirá a Sua Santidade e à Igreja Católica defender e promover os valores fundamentais da paz, da solidariedade e da dignidade humana. São indicadores essenciais num mundo que enfrenta vários desafios e está a passar por uma mudança profunda.

Estamos convencidos de que Sua Santidade vai continuar a promover com determinação e força o trabalho do seu antecessor aproximando as pessoas e as religiões do mundo."

Presidente faz apelo a uma estratégia abrangente para fomentar o crescimento e o emprego

O Presidente Durão Barroso esteve hoje presente na Cimeira Social Tripartida onde fez um apelo ao envolvimento dos parceiros sociais numa estratégia económica abrangente que deve incluir medidas a curto prazo para fomentar o crescimento. "A realidade é que as perspetivas de crescimento continuam a ser extremamente preocupantes e, de facto, o desemprego está a atingir níveis inaceitáveis. É por isso que temos de resolver estas questões com políticas abrangentes," disse.

14/03/2013

EC

"Dou grande importância a um diálogo social de alta qualidade a nível europeu. E é particularmente importante agora porque continuamos a enfrentar um elevado nível de desemprego e, ao mesmo tempo, a necessidade de reformas económicas corajosas."

Durão Barroso disse que a Comissão estava a promover uma agenda que combata o desemprego jovem ao mesmo tempo que torna a Europa mais competitiva. "Isto, acredito, é o tipo de abordagem que devemos ter a nível europeu: manter o nosso compromisso com as reformas que são indispensáveis à competitividade europeia, manter o nosso compromisso com a correção dos desequilíbrios das finanças públicas mas, ao mesmo tempo, fazer mais para promover o crescimento a curto prazo e possuir também um compromisso reforçado sobre as obrigações sociais."

Acrescentou que "em alguns casos, estamos a atingir os limites daquilo que é socialmente aceitável, e isto é certamente uma questão de preocupação para todos nós".

Ler o discurso completo

Ver o vídeo

Progressos na parceria comercial transatlântica "revolucionária"

"Fizemos hoje progressos importantes naquilo que acredito ser algo que vai mudar as regras do jogo, não só em termos transatlânticos, mas em todo o mundo no que toca ao comércio," disse o Presidente Durão Barroso depois da reunião da Comissão, em Estrasburgo, na terça-feira. A Comissão reuniu-se para debater a sua recomendação para o Conselho autorizar o início das negociações sobre uma Parceria Transatlântica para o Comércio e o Investimento entre a UE e os Estados Unidos.

13/03/2013

EU and US flags

"Concordamos sobre um projeto de mandato de negociação relativo à Parceria Transatlântica para o Comércio e o Investimento," disse o Presidente. "Espero que os Estados-Membros concedam o mandato à Comissão para iniciar as negociações assim que possível. Gostaríamos de iniciá-las este verão. E penso que os benefícios para a Europa e para a América são realmente impressionantes."

"Segundo um estudo publicado hoje, 80% dos ganhos [com este acordo] podem resultar da redução dos encargos regulamentares e da burocracia, e é um acordo que vai muito para além das tarifas, também abrange os serviços e a adjudicação de contratos. Por isso, é um acordo de um novo tipo que acredito pode ser de extrema importância para a Europa, para os Estados Unidos e para o comércio mundial."

Conselho Europeu, 14 e 15 março de 2013

O Presidente Durão Barroso participou hoje na sessão plenária do Parlamento Europeu sobre a preparação do próximo Conselho Europeu. No seu discurso apresentou as expetativas da Comissão Europeia para o Conselho Europeu, focando-se no programa económico e no papel fundamental que possui na próxima fase do plano de reformas da Europa.

13/03/2013

EC

O Presidente da Comissão Europeia sublinhou que apesar do combate às causas de fundo desta crise, a Europa tem ainda de resolver os medos e as preocupações mais imediatos de muitos europeus: "Temos de fazer tudo o que for possível, a todos os níveis, para os ajudar a sair da crise."

Sublinhou que as decisões da Comissão foram um sinal claro sobre a irreversibilidade e a integridade do euro, e transmitiram a mensagem certa sobre a capacidade da Europa para atuar.

"Não deve existir nenhuma contradição entre a agenda social e a da competitividade," disse, tendo reiterado que a agenda social é parte integral da estratégia da UE para sair da crise.

O Presidente Durão Barroso sublinhou que a Comissão atuou muito rapidamente no que toca ao desemprego jovem. Entre as medidas estão os 6 mil milhões de euros acordados na reunião do Conselho Europeu de fevereiro para combater o desemprego jovem. Cabe agora ao Conselho e ao Parlamento Europeu analisar estes textos com celeridade e adotá-los a fim de proporcionar resultados rápidos e concretos. Com esta iniciativa, o Presidente espera que seja gerado um novo impulso aos níveis nacional e regional para dar esperança aos nossos jovens.

"Neste momento, em que a crise é particularmente difícil para a juventude, não podemos, e não vamos, desiludir as nossas gerações mais jovens," reiterou o Presidente.

"Os nossos esforços para a competitividade e o crescimento são, claro, sobre a economia, sobre as necessidades sociais urgentes, mas também sobre a nossa posição e influência no mundo, sobre os nossos valores e como os apoiamos a nível interno e internacional. Sobre o modo de vida europeu," concluiu.

Full President's speech at the EP plenary session

Presentations to the EU summit pdf - 790 KB [790 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr) , other languages available here

Resposta à adoção do parlamento húngaro das novas alterações constitucionais

O Presidente da Comissão Europeia, Durão barroso, e o Secretário-Geral do Conselho da Europa, Thorbjørn Jagland, responderam à adoção pelo parlamento húngaro da Quarta Emenda à Lei Fundamental Húngara.

12/03/2012

EC

Referiram que as emendas levantaram preocupações ao Conselho da Europa (Comissão de Veneza) e à Comissão Europeia em relação ao princípio do Estado de Direito, ao direito europeu e às normas do Conselho da Europa. Os especialistas de ambas as instituições vão agora fazer uma avaliação detalhada destas novas alterações à Constituição.

O Presidente Durão Barroso e o Secretário-Geral Jagland também destacaram o compromisso pleno das autoridades húngaras com as normas e os valores europeus, tal como confirmado pelo primeiro-ministro Orbán na sua carta de março. Esperam agora que as autoridades húngaras se comprometam em estabelecer contactos bilaterais com as instituições europeias a fim de abordarem qualquer questão.

Presidente Durão Barroso satisfeito com a votação do Parlamento sobre o "pacote de duas medidas" para a governação económica

O Presidente Durão Barroso acolheu hoje com agrado a aprovação do pacote de duas medidas de legislação pelo Parlamento Europeu. Isto reforça de forma significativa as ferramentas para a coordenação das políticas orçamentais e económicas a nível da UE, complementando os avanços já feitos com o pacote de seis medidas de legislação.

12/03/2013

EC

O Presidente Durão Barroso disse que "esta votação é mais uma prova da vontade da Europa em avançar junta para fortalecer a governação económica e preparar o terreno para uma união económica e monetária mais efetiva e aprofundada".

Resposta do Presidente Rehn em nome da Comissão à votação do Parlamento sobre o pacote de duas medidas

"Pacote de duas medidas" completa o ciclo de supervisão orçamental para a zona euro e melhora a governação económica

Mensagem de felicitações ao Dr. Joseph Muscat depois da sua vitória eleitoral em Malta

José Manuel Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, felicitou o Dr. Joseph Muscat pelo sucesso eleitoral obtido nas eleições maltesas.

11/03/2013

Commons

"Em meu próprio nome, e em nome da Comissão Europeia, felicito o Dr. Joseph Muscat pelos resultados eleitorais obtidos. O Dr. Joseph Muscat pode contar com o compromisso contínuo da Comissão Europeia para trabalhar lado a lado com Malta e para ultrapassar os desafios que enfrentamos juntos como uma União. Desejo-lhe todo o sucesso ao longo do seu mandato," afirmou o Presidente.

Carta do Presidente Durão Barroso aos membros do Conselho Europeu

 Em antecipação ao Conselho Europeu, o Presidente Durão Barroso enviou uma carta aos membros do Conselho Europeu, afirmando: "Ainda não saímos da crise, tal como demonstrado pelos inaceitáveis elevados níveis de desemprego, mas podemos observar que os esforços em termos de reformas fornecidos pelos Estados-Membros estão a dar resultados corrigindo desequilíbrios muito importantes na economia europeia."

11/03/2013

EC

"Na minha breve apresentação ao Conselho Europeu irei centrar-me no desafio que representa a competitividade e no desemprego dos jovens. Melhorar a competitividade não constitui por si só um fim mas um meio para impulsionar a prosperidade e apoiar os níveis de vida e valores europeus. Constitui um elemento indispensável para fomentar o crescimento e a criação de emprego, sendo um desafio permanente na atual conjuntura global e para importantes partes da UE," disse o Presidente, acrescentando que "preparar as nossas economias para que possam aproveitar o potencial do nosso mercado único, competir globalmente e beneficiar das oportunidades comerciais que estamos a negociar, tudo isso deveria constituir um tópico importante para as nossas discussões".

Anunciou também que antes da reunião do Conselho Europeu, a 14 e 15 de março, a Comissão terá apresentado as propostas legais que permitirão que a nova Iniciativa para o Emprego dos Jovens esteja operacional a partir do início do próximo orçamento.

Carta aos chefes de Estado e de governo antes do Conselho Europeu pdf - 13 KB [13 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr)

Anexo I: Dados essenciais relativamente ao PIB, desemprego, défices públicos e dívida do estado pdf - 89 KB [89 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr)

Anexo 2: Tendências nas balanças de transações correntes e nos custos unitários do trabalho pdf - 65 KB [65 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr)

Relatório: Equipas da Ação Emprego dos Jovens – Atualização para o Conselho Europeu da Primavera, 14-15 de março de 2013 pdf - 598 KB [598 KB] Deutsch (de) English (en) français (fr)

A carta e os seus anexos também estão disponíveis em todas as línguas no sítio Web Europa 2020.

Europa 2020: um plano para o mundo pós-crise

Na cimeira Europa 2020, o Presidente Durão Barroso definiu a abordagem da UE para enfrentar os nossos desafios económicos: a confiança e a competitividade são fundamentais para o crescimento inclusivo e sustentável a longo prazo.

07/03/2013

EC

No seu discurso, o Presidente Durão Barroso deixou claro que a Europa tem de "manter o rumo". As nossas reformas, mesmo se difíceis, estão a produzir resultados e este não é o momento de voltar atrás, apesar de alguns defenderem o contrário. Mostrou-se confiante de que os líderes da Europa vão confirmar o seu compromisso para continuar o caminho das reformas.

A resposta política da UE à crise e aos nossos desafios económicos a longo prazo, nomeadamente a globalização, possui várias correntes. Reforçam-se mutuamente, não são mutuamente contraditórias.

O Presidente enfatizou a importância da confiança como um impulsionador do investimento e do crescimento. A confiança é desenvolvida numa conceção clara do futuro, e a visão da Europa de uma União económica e monetária mais profunda é crucial.

Ler o discurso

Durão Barroso faz um apelo ao entendimento mútuo no Médio Oriente

O Presidente Durão Barroso defendeu hoje uma "solução de dois Estados" para que o processo de paz no Médio Oriente avance, no final de uma reunião com o Presidente do Estado de Israel, Shimon Peres. Na sua declaração, o Presidente também mencionou a situação humanitária na Síria, tendo feito um apelo a um papel mais forte da Liga Árabe no país.

07/03/2013

President Barroso and President of the State of Israel, Shimon Peres

"Acreditamos que Israel deve ser plenamente reconhecido pelos seus parceiros regionais e que deve viver em segurança dentro das suas fronteiras. Ao mesmo tempo, a aspiração palestiniana em ter o seu próprio Estado deve ser satisfeita", afirmou o Presidente Durão Barroso.

Disse também: "A União Europeia continua a defender firmemente uma solução com dois Estados. Dois Estados a viver lado a lado em paz e segurança. Por isso, encorajamos ambos os lados a apoiar e a implementar medidas para o desenvolvimento da confiança que permitam o avanço do processo de paz."

Tendo em vista as recentes eleições em Israel, o Presidente Durão Barroso afirmou que a UE espera que o novo governo se comprometa em desenvolver as suas relações com a Europa e com a negociação de um acordo para o Processo de Paz para o Médio Oriente.

O Presidente da Comissão também mencionou a deterioração das condições humanitárias na Síria, onde o número de refugiados está quase a chegar a 1 milhão. "Isto é uma nódoa na consciência mundial", disse. "A comunidade internacional tem o dever de resolver a situação. Apoiamos totalmente os esforços do representante especial das Nações Unidas/Liga Árabe, Brahimi, para alcançar uma solução política para o conflito. E acreditamos que a Liga Árabe deve de facto assumir um papel nesta solução."

O Presidente Durão Barroso referiu o sucesso da cooperação bilateral na investigação e na inovação, e mostrou-se satisfeito com o pedido de Israel para a associação ao próximo programa "Horizonte 2020".

Ler a declaração completa

Ver o vídeo

Read the speech at the Building Bridges Conference

Facilitar a vida às PME simplificando os dez atos legislativos da UE mais onerosos

No seguimento de uma vasta consulta lançada pela Comissão, cerca de 1000 PME e organizações empresariais identificaram os dez atos legislativos da UE mais onerosos. A Comissão apresentou hoje os resultados e comprometeu-se a facilitar a vida às PME.

07/03/2013

EC

O objetivo desta vasta consulta consistia em verificar em que domínios a regulamentação da UE poderia impedir a criação de empregos e o crescimento nos Estados-Membros. Os 20,8 milhões de pequenas e médias empresas (PME) europeias criam 85 % da totalidade dos empregos na Europa, empregam 2/3 da força de trabalho na UE e contribuem significativamente para a inovação e o crescimento. Em conformidade com Lei das pequenas empresas de 2008, a Comissão colocou os interesses das PME no centro do seu programa relativo à regulamentação inteligente com o objetivo de contribuir para o crescimento e a criação de emprego na Europa.

A Comissão irá agora abordar estas questões no âmbito do novo programa para a adequação e a eficácia da regulamentação, onde o acervo da UE em matéria regulamentar será controlado em relação a encargos, lacunas e ineficácias, no intuito de avaliar e, se necessário, rever esses atos legislativos.

"A Comissão está a assegurar se de que a legislação da UE é adequada aos objetivos a que se destina e ajudará as empresas europeias a crescer e a criar empregos. É por esta razão que colocámos a noção de regulamentação inteligente no centro do nosso processo de decisão política. E é por esse motivo que queremos facilitar a vida das nossas pequenas e médias empresas, que constituem motores muito importantes da economia da Europa. Quero agradecer a todos os que contribuíram para identificar os atos legislativos mais onerosos. Envidaremos grandes esforços para estar à altura das vossas expectativas."

A consulta revelou também que as pequenas empresas apreciam prazos de pagamento reduzidos, nos termos da revisão da diretiva relativa aos atrasos de pagamento que entra em vigor a 16 de março, como sendo um dos aperfeiçoamentos legislativos com melhores resultados, bem como a possibilidade de mais PME beneficiarem de regimes contabilísticos e de auditoria simplificados.

Ler o comunicado de imprensa

Ler o memorando

Resultados da consulta pública

Comunicação "Regulamentação inteligente – Responder às necessidades das pequenas e médias empresas

Documento de trabalho "Monitorização e consulta sobre a regulamentação inteligente para as PME"

Comunicação e documento de trabalho

Mensagem conjunta pelo falecimento do Presidente Hugo Chávez

O Presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, e o Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, enviaram hoje uma mensagem de condolências a Nicolás Maduro Moros, Vice-Presidente da República Bolivariana da Venezuela.

06/03/2013

Hugo Chávez (photo: wiki commons, Premier.gov.ru)

"A União Europeia recebeu com tristeza a notícia do falecimento do Presidente da República Bolivariana da Venezuela, Hugo Chávez.

A Venezuela destacou-se pelo seu desenvolvimento social e pela sua contribuição para a integração regional da América do Sul.

Esperando aprofundar a nossa relação no futuro, expressamos as nossas sinceras condolências e solidariedade com o povo e o governo da Venezuela."

Relações UE-Tailândia entram numa nova era

O Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e o primeiro-ministro da Tailândia, Yingluck Shinawatra, reuniram-se hoje em Bruxelas. Anunciaram a conclusão das negociações do Acordo de Cooperação e Parceria e o início das negociações sobre um Acordo de Comércio Livre (ACL) entre a UE e a Tailândia.

06/03/2013

Ryder Cup

Depois das conversações bilaterais com o primeiro-ministro da Tailândia, Yingluck Shinawatra, o Presidente Durão Barroso disse que as relações UE-Tailândia estão a avançar para "uma nova era", baseada num novo Acordo de Cooperação e Parceria (ACP) e num futuro Acordo de Comércio Livre.

O ACP, assinado à margem das conversações, "vai elevar a nossa cooperação para um nível superior, melhor adaptado aos desafios mundiais atuais e às nossas ambições políticas", disse.

Além disto, o Presidente Durão Barroso e o primeiro-ministro Shinawatra anunciaram o arranque das negociações sobre um ACL, que se espera traga "benefícios substanciais às nossas relações sólidas de investimento e comerciais".

Durante as conversações bilaterais, foram também abordadas questões regionais e internacionais, dado o papel central da Tailândia na ASEAN. "A UE quer que a integração regional do Sudeste Asiático tenha sucesso: uma ASEAN mais forte será benéfica para a prosperidade do Sudeste Asiático e benéfica para a estabilidade da região mais alargada," disse o Presidente.

No final da reunião, o Presidente Durão Barroso apresentou ao primeiro-ministro um certificado de "Indicação Geográfica" para o Khao Hom Mali Thung Kula Ronghai (um tipo de arroz tailandês). Este arroz tornou-se no primeiro produto do Sudeste Asiático reconhecido com este estatuto pela UE. Durante esta cerimónia simbólica, o Presidente Durão Barroso sublinhou como a "cooperação entre a UE e a Tailândia é eficaz e pragmática", e concluiu afirmando que "proporciona benefícios tangíveis às vidas dos nossos cidadãos".

Ler o discurso completo

Ver o vídeo

Declaração proferida depois da reunião do Presidente Durão Barroso com Rossen Plevneliev, Presidente da República da Bulgária

O Presidente Durão Barroso reuniu-se esta tarde com o Presidente da Bulgária, Rossen Plevneliev, para debater o Conselho Europeu da próxima semana e a atual situação política na Bulgária depois da demissão do governo.

06/03/2013

EC

O Presidente Durão Barroso sublinhou a importância do próximo Conselho Europeu como uma oportunidade para os chefes de Estado e de governo se centrarem nas prioridades do restabelecimento da competitividade e na resolução dos níveis inaceitáveis de desemprego.

O Presidente Plevneliev informou o Presidente da Comissão Europeia sobre a situação no país e as suas ações para manter o processo constitucional depois da demissão do governo. O Presidente Durão Barroso expressou a sua esperança de que possa ser estabelecido um governo estável e plenamente operacional assim que possível depois das eleições antecipadas, a 12 de maio de 2013. O Presidente Durão Barroso mostrou-se satisfeito com o compromisso do Presidente Plevneliev em responder às preocupações expressas pelos cidadãos búlgaros e em assegurar a estabilidade em total respeito pelo processo constitucional e os valores democráticos.

Ler a declaração do Presidente

Ver o vídeo

Reunião com o Presidente do Mianmar, Thein Sein

Os atuais esforços do governo do Mianmar para as reformas políticas, sociais e económicas foram os principais assuntos debatidos hoje entre o Presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e o Presidente Thein Sein do Mianmar.

05/03/2013

EC

Na conferência de imprensa no final da reunião, o Presidente Durão Barroso referiu que as reformas e a transição ainda não estão concluídas e que há ainda muito a fazer no campo das liberdades fundamentais, em particular nos direitos das minorias. É também necessário abordar a situação humanitária nos estados de Kachin e Rakhine, para terminar com os conflitos e consolidar a paz, e aprofundar as reformas democráticas.

O Presidente Durão Barroso referiu também as áreas onde a UE já está a apoiar o Mianmar, referindo: a cooperação para o desenvolvimento da UE, o apoio ao Centro para a Paz do Mianmar, o trabalho com a comissão eleitoral do Mianmar para assegurar que as eleições de 2015 cumprem com os mais elevados padrões internacionais, e os fundos adicionais da UE para apoiar os deslocados internos no estado de Rakhine de ambas as comunidades (Rohingya e Rakhine). Acrescentou que "a UE vai continuar a ter um papel principal a este respeito na comunidade internacional."

"A UE e o Mianmar estão a virar uma página na sua relação. Queremos aumentar a nossa colaboração com o governo e o povo do Mianmar: mais diálogo, mais e melhor ajuda, mais comércio e investimento e mais contactos povo-a-povo, "concluiu o Presidente.

Ler o discurso completo do Presidente

Ver o vídeo

Reformar para sermos melhores e mais fortes

Num discurso proferido no Fórum para a Agricultura, o Presidente Durão Barroso focou-se em como assegurar o crescimento sustentável e apresentou os desafios que uma Europa mais forte tem de enfrentar. Para que todos tenhamos um melhor futuro, é necessário que todas as nossas políticas avancem na mesma direção e apoiem os mesmos objetivos gerais.

05/03/2013

EC

No seu discurso, o Presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, reiterou que quando avançamos todos na mesma direção podemos ver os primeiros resultados positivos desta resposta.
 
Continuou, apresentando os elementos (os direcionados para a agricultura, aqueles para ultrapassar a crise e os que são parte do objetivo mais alargado da UE para o crescimento e o emprego sustentáveis a longo prazo) de uma resposta única e coerente e concluiu com a ideia de que devemos continuar a impulsionar as reformas para tornar as nossas economias mais competitivas e as nossas finanças públicas mais sólidas e sustentáveis.

"Reformar para sermos melhores e mais fortes: em grande medida, o setor agrícola faz parte disto."

"Acima de tudo, o nosso crescimento a longo prazo requer investimento, e o investimento requer confiança no futuro. Por isso, precisamos de uma visão da Europa, de um sentido de missão apoiado pela vontade política dos nossos Estados-Membros."

Colmatar lacunas na educação e nas competências eletrónicas para o emprego digital

No lançamento de uma nova parceria para resolver a falta de competências em TIC e as centenas de milhares de vagas de emprego em TIC não preenchidas, o Presidente Durão Barroso sublinhou o potencial de emprego do setor das TIC para a Europa. Reiterou que a resolução do elevado desemprego é uma prioridade-chave da Comissão.

04/03/2013

EC

Foi lançada na segunda-feira uma Grande Coligação para a Criação de Empregos na Área Digital, depois da identificação pela Agenda Digital para a Europa da Comissão da falta de competências eletrónicas para acompanhar as rápidas mudanças tecnológicas atuais. Esta nova parceria, que envolve várias partes interessadas, possui um mandato até 2015.

"Os estudos também mostraram que as profissões relacionadas com as TIC são bastante mais resistentes à crise do que a maioria dos outros empregos. Isto significa claramente que as competências eletrónicas são sem dúvida fundamentais para reduzir o risco de desemprego incluindo para os trabalhadores mais velhos. São necessários cada mais e melhores profissionais, investigadores, empresários, gestores e utilizadores em TIC," disse o Presidente Durão Barroso no seu discurso durante o almoço, tendo referido que o último estudo mostra que a Europa possui cerca de 900 000 vagas de empregos em TIC por preencher.

"Em resumo, uma abordagem de parceria com várias partes interessadas é a forma certa para desenvolver uma agenda de competências de uma forma direcionada, inovadora e sustentável," disse o Presidente Durão Barroso.

O Presidente falou também sobre as atividades e iniciativas através das quais a Comissão está a combater ativamente o desemprego: a agenda para o crescimento da UE – a Estratégia Europa 2020; o Pacote do Emprego; o Quadro Financeiro Plurianual; a Iniciativa Emprego Jovem; e a Agenda Digital. Durão Barroso sublinhou que as "competências eletrónicas são sem dúvida fundamentais para reduzir o risco de desemprego incluindo para os trabalhadores mais velhos".

Ver o vídeo

Visita oficial a Rabat, 1 - 2 de março de 2013

As conversações entre o chefe de governo marroquino Abdelilah Benkirane, assim como com outros altos responsáveis marroquinos, e o Presidente Durão Barroso debruçaram-se sobre os seguintes assuntos: as questões internas, as relações bilaterais e a situação geopolítica da região. Foi também anunciado o início das negociações sobre um novo Acordo de Comércio Livre com Marrocos.

01/03/2013

Karim Ghellab, Speaker of the Lower House of the Moroccan Parliament, and José Manuel Barroso

Depois da sua reunião com o chefe de governo marroquino, Abdelilah Benkirane, o Presidente Durão Barroso felicitou as reformas políticas, económicas e sociais levadas a cabo em conformidade com a Constituição marroquina e as aspirações legítimas do povo marroquino.

O Presidente da Comissão Europeia também explicou que Marrocos é um parceiro estratégico da União Europeia; as relações bilaterais são excelentes, fundadas num estatuto especial, e vão em breve desenvolver-se com a negociação e o estabelecimento de um acordo de comércio livre.

"As relações entre a UE e Marrocos estão também a tomar um novo rumo graças ao acordo político sobre a parceria para a mobilidade, a fim de garantir uma boa gestão da circulação de pessoas entre as nossas fronteiras. Demos hoje início às negociações relativas a um acordo para facilitar os procedimentos de concessão de vistos para algumas categorias de pessoas, nomeadamente estudantes, investigadores e empresários," disse.

A União Europeia e Marrocos assinaram também um memorando financeiro num montante de 25 milhões de euros sob a forma de doações para o combate à pobreza em 885 comunidades rurais em Marrocos.

Por último, o Presidente Durão Barroso prometeu uma cooperação estreita e um diálogo político intenso com Marrocos sobre as questões internacionais, nomeadamente sobre a integração do Magrebe e a segurança na região.

Ler o discurso

Ver o vídeo