This site has been archived on (2014/11/01)
01/11/14

Percurso de navegação

Notícias

Viagem do Presidente Durão Barroso à Ásia

De 3 a 6 de novembro, o Presidente Durão Barroso desloca-se à Ásia onde vai visitar o Mianmar e a Indonésia, assim como participar na 9.ª Reunião Ásia-Europa (Cimeira ASEM), em Vienciana, Laos.

31/10/2012

Presidente Durão Barroso e Thura Shwe Mann da Birmânia/Mianmar, em 2011 © EU

O Presidente inicia a sua visita no Mianmar, a 3 e 4 de novembro, onde vai reunir-se com o Presidente U Thein Sein, o Presidente da Câmara dos Comuns, Thura Shwe Mann, e Daw Aung San Suu Kyi. Durante as reuniões, o Presidente Durão Barroso referirá o apoio abrangente da UE ao processo de transição no Mianmar. O Presidente vai também proferir um discurso e participar numa cerimónia no recentemente criado Centro para a Paz em Rangum, onde expressará o apoio da UE à reconciliação nacional e ao diálogo interétnico.

Na Tailândia, o Presidente vai reunir-se a 4 de novembro com o primeiro-ministro Shinawatra com quem debaterá as relações UE-Tailândia, antes de continuar para o Laos onde, juntamente com o Presidente Van Rompuy, participará na 9.ª Cimeira ASEM.

Reforçar as relações da UE com o Benim e Cabo Verde

O Presidente Durão Barroso reuniu-se com o Presidente do Benim, Yayi, e em Cabo Verde com o primeiro-ministro Neves e o Presidente Fonseca. Durão barroso elogiou a estabilidade e os sistemas democráticos sólidos existentes em ambos os países. Foram assinados vários acordos de financiamento e de cooperação importantes.

29/10/2012

José Manuel Durão Barroso durante a cerimónia de abertura da Biblioteca Jean Monnet da Fundação Zinzou © EU

No Benim, o Presidente Durão Barroso elogiou o país pelos seus esforços para fomentar uma democracia mais forte e o desenvolvimento sustentável. "O seu país é um modelo democrático para todo o continente africano," disse.

Expressou também o seu apreço pelo trabalho realizado pelo Presidente Yayi, nomeadamente pela função que desempenha como diretor da União Africana, empenhado na estabilização das situações de conflito na região.

O Presidente Durão Barroso inaugurou uma nova biblioteca com o nome de Jean Monnet desenvolvida pela Fundação Zinsou, cuja criação foi cofinanciada pela União Europeia. Durante a visita foi também assinado um programa de apoio orçamental – um "Contrato para a Boa Governação e o Desenvolvimento" – no valor de 50 milhões de euros.

A visita do Presidente a Cabo Verde coincide com o quinto aniversário da Parceria Especial UE - Cabo Verde. Cabo Verde é atualmente o único país em África que concluiu uma Parceria para a Mobilidade com a UE. A mesma foi fortalecida durante a visita com a assinatura de um acordo sobre a facilitação de vistos que irá simplificar ainda mais as viagens entre Cabo Verde e os países da UE.

Ver o vídeo de Benim

Ver o vídeo de Cabo Verde

Costa do Marfim: Presidente Durão Barroso sublinha a importância de uma democracia forte e da integração regional

Durante a sua visita à Costa do Marfim, o Presidente Durão Barroso reuniu-se com Ouattara, Presidente da República, assim como com representantes da oposição e membros da sociedade civil. Durão Barroso proferiu também um discurso na Universidade Félix Houphouët Boigny de Cocody.

26/10/2012

EC

Depois da reunião com o Presidente Ouattara, o Presidente Durão Barroso declarou: "Apoiámos totalmente o Presidente Ouattara nos seus esforços de reconciliação nacional e de relançamento da economia, tendo mobilizado mais de 430 milhões de euros desde abril de 2011."

Continuou, afirmando: "Este compromisso não será anulado nos próximos anos. A União Europeia permanecerá ao lado da Costa do Marfim para a ajudar a voltar a tornar-se rapidamente num pólo de estabilidade e de crescimento na África Ocidental."

"Assim, em resumo: o papel da Costa do Marfim é importante. O seu país continuará a ser um parceiro essencial para a União Europeia e pode ser o motor da região da África Ocidental," concluiu o Presidente Durão Barroso.

No seu discurso, na Universidade de Félix Houphouët Boigny de Cocody, em Abidjan, o Presidente Durão Barroso sublinhou que "Hoje, mais do que nunca, no momento da justiça e da reconciliação nacional, sem os quais não pode haver uma paz sólida e uma democracia forte, estamos, e estaremos, sempre ao seu lado."

Encorajou também uma maior integração regional na África Ocidental para encontrarmos juntos a paz, a estabilidade e a prosperidade na região, incluindo uma solução para a crise no Mali, tendo enfatizado o papel da Costa do Marfim neste processo: "A posição da Costa do Marfim e a sua economia fazem da mesma um país essencial para que o processo de integração regional possa avançar de forma harmoniosa na África Ocidental. O compromisso ativo da Costa do Marfim no seio das instituições regionais é assim verdadeiramente essencial."

Programa de Trabalho da Comissão para 2013: ações concretas para o crescimento

O regresso da União Europeia a um crescimento sustentável é a tarefa primordial da Comissão Europeia e o objetivo do novo Programa de Trabalho da Comissão para 2013, publicado na terça-feira, 23 de outubro.

24/10/2012

Sessão plenária, Parlamento Europeu © EU

O crescimento sustentável requer novas ideias e medidas direcionadas para um pequeno número de domínios estratégicos essenciais. O Presidente Durão Barroso disse: "Este Programa de Trabalho descreve a forma como a Comissão conduz os seus trabalhos diariamente no sentido de adoptar as medidas necessárias. 2013 será um ano crucial para mostrar aos nossos cidadãos que a UE aponta o caminho a seguir, adotando as medidas credíveis e concretas necessárias para sair da crise e para lançar bases sólidas para um futuro crescimento sustentável."

O Programa de Trabalho da Comissão faz uma síntese dos objetivos da União em sete domínios essenciais e enumera os objetivos que falta cumprir. Em seguida, explica que a Comissão perseguirá estes objetivos avançando com as principais iniciativas que já se encontram sobre a mesa, apresentando novas propostas e assegurando que os benefícios da reforma chegam aos cidadãos através de uma execução eficaz.

Os sete domínios estratégicos essenciais adotados no Programa de Trabalho são:

 

Ler mais no comunicado de imprensa divulgado na ocasião. No sítio Web dedicado ao Programa de Trabalho da Comissão encontrará também um anexo pormenorizado do Programa em inglês, francês e alemão. Será disponibilizado em breve noutras línguas.

'Read the speech by Vice-President Šefčovič on the Commission Work Programme in the European Parliament'

Inauguração da Escola Europeia em Laeken, Bruxelas

A Escola Europeia de Bruxelas IV, em Laeken, foi oficialmente inaugurada hoje, 24 de outubro, na presença de Sua Majestade o Rei Albert II, a Rainha Paola, o Presidente Durão Barroso e o Vice-Presidente Šefčovič.

24/10/2012

José Manuel Barroso, King Albert II and Queen Paola (c) EU

O secretário de Estado, Verherstraeten, entre outros dignitários, também participaram na cerimónia. O Presidente Durão Barroso expressou a sua gratidão às autoridades belgas pelo fornecimento deste local. Os alunos de Bruxelas IV participaram com entusiasmo nas celebrações com a orquestra e o coro da escola.

Com o Presidente Durão Barroso referiu no seu discurso, "as escolas europeias representam, na minha opinião, o símbolo daquilo que está no coração do projeto europeu: viver juntos, em solidariedade e respeitando a nossa diversidade".

Vídeo do evento

Ler o discurso pdf - 62 KB [62 KB] français (fr)

Conselho Europeu: apelo a implementação imediata do Pacto para o Crescimento e o Emprego

O Presidente Durão Barroso sublinhou que o Pacto para o Crescimento e o Emprego, acordado em junho, não deve ficar-se pelo papel. Ao pedirmos aos nossos cidadãos para fazerem grandes sacrifícios, temos de fornecer-lhes esperança, perspetivas realistas de crescimento e segurança para os mais vulneráveis, disse.

19/10/2012

(c) EU

"A realidade é que a crise ainda está presente… Estou dolorosamente consciente da difícil situação em que muitos cidadãos europeus se encontram, e esta é precisamente a razão pela qual pedimos hoje aos chefes de Estado e de governo para implementarem imediatamente o Pacto para o Crescimento e o Emprego," disse o Presidente Durão Barroso na conferência de imprensa final do Conselho Europeu de outubro.

Apesar de terem sido feitos alguns progressos, ainda não são suficientes: "A realidade é que o Pacto para o Crescimento, um importante pacote de investimento de 120 mil milhões de euros, ainda não foi totalmente implementado." O Presidente deu depois exemplos concretos de áreas onde a implementação deve ser acelerada, como a tributação dos rendimentos de poupanças, a tributação enérgica, as reformas dos contratos públicos ou a fomentação do capital de risco. (Ler mais no seu relatório aos chefes de Estado e de governo).

O Presidente enfatizou que o setor financeiro deve também contribuir de forma justa para a recuperação: "Na próxima semana a Comissão vai dar o primeiro passo para o lançamento de uma cooperação reforçada para um Imposto sobre as Transações Financeiras e iremos apresentar um plano de ação sobre a fraude e a evasão fiscais antes do final do ano."

"No Conselho Europeu especial do próximo mês temos de fornecer à União um orçamento para o crescimento e o emprego. Não posso prometer que teremos mais tempo para dormir no próximo Conselho Europeu, penso que vai ser um Conselho Europeu longo, mas espero que os chefes de Estado e de governo sejam capazes de chegar a um consenso, tal como o fizeram nesta cimeira," concluiu o Presidente Durão Barroso.

Video: outcomes of the European Council

"Concordámos em ter decisões legislativas sobre o Mecanismo Único de Supervisão até ao final do ano", disse o Presidente Durão Barroso depois da sua primeira noite do Conselho Europeu.

O Presidente Durão Barroso também acolheu com agrado o compromisso claro com uma visão a longo prazo para a união económica e monetária: "A Comissão vai definir o seu parecer em algumas semanas, num plano para a união económica e monetária". Acrescentou depois que "a Comissão é uma forte defensora de uma integração mais profunda, em particular para a zona euro". Sobre a Grécia, o Presidente Durão Barroso sublinhou a importância dos compromissos assumidos na declaração da zona euro divulgada hoje.

Ler a declaração do Presidente (quinta-feira)

Ler a declaração do Presidente (sexta-feira)

Conclusões do Conselho Europeu

Conclusões do Conselho Europeu sobre a finalização da UME (18/10)

Declaração dos chefes de Estado e de governo da zona euro sobre a Grécia

Relatório sobre a implementação das medidas de crescimento apresentadas aos chefes de Estado e de governo

Vídeo da declaração na conferência de imprensa de quinta-feira

Vídeo da declaração na conferência de imprensa de sexta-feira

Speech by President Barroso at the European Parliament plenary session on the European Council conclusions

Closing remarks by President Barroso at the European Parliament plenary session

"Estamos perfeitamente conscientes de que a situação é muito difícil"

Na Cimeira Social Tripartida de quinta-feira, o Presidente Durão Barroso mostrou-se solidário com as pessoas mais atingidas pela crise e insistiu para que o Conselho Europeu acelerasse as medidas de promoção do crescimento ao abrigo do Pacto para o Crescimento e o Emprego.

18/10/2012

EU

"Gostaria de dirigir uma mensagem às pessoas na Europa mais afetadas pela crise atual. Estamos perfeitamente conscientes de que a situação é muito difícil para muitos dos nossos concidadãos. E quero dizer àqueles que estão a passar por tempos difíceis devido à crise atual, que a Comissão Europeia está a fazer todos os esforços, juntamente com os nossos Estados-Membros e parceiros sociais, para voltar a colocar a Europa no caminho do crescimento e do emprego," disse o Presidente Durão Barroso no início dos seus comentários na conferência de imprensa proferida depois da cimeira.

Isto exigirá esforços redobrados por parte dos Estados-Membros para tomarem medidas imediatas e concretas, disse. "Enviei ontem o meu relatório aos 27 Chefes de Estado e de Governo explicando qual a situação da implementação do Pacto para o Crescimento e o Emprego."

"Muito honestamente, não estou satisfeito com os progressos feitos até hoje. É por isso que faço um apelo ao Conselho Europeu para acelerar a adoção e a implementação das várias medidas importantes para promover o crescimento contempladas no Pacto para o Crescimento e o Emprego... Temos de equilibrar os importantes esforços feitos em termos de finanças públicas sólidas com as medidas certas para termos políticas de promoção do crescimento," disse o Presidente.

Comunicado de imprensa sobre a Cimeira Social Tripartida

Ver o vídeo

Reunião com Ponta, primeiro-ministro da Roménia, em Bucareste

Durante a reunião foram debatidos, entre outros assunto, o sistema judicial e como os fundos europeus podem ser melhor usados na Roménia. "Acredito que é do interesse da Roménia que todas as forças políticas atuem com responsabilidade e contenção à medida que as eleições se aproximam," disse o Presidente Durão Barroso numa declaração.

17/10/2012

EC

Relativamente ao sistema judicial, o Presidente Durão Barroso insistiu, em particular, na importância de que a nomeação do novo procurador-geral e do diretor da Direção Nacional Anticorrupção seja feita de uma forma objetiva e independente. "Estas duas pessoas definirão a reputação do setor judicial e devem possuir um historial de integridade e profissionalismo," disse o Presidente numa declaração escrita depois da reunião.

Sobre a gestão e o controlo dos fundos da UE, o Presidente Durão Barroso encorajou o primeiro-ministro a tomar medidas imediatas para resolver questões que resultam na interrupção de pagamentos para certos programas da UE. "A não ser que sejam tomadas ações urgentes, a absorção dos fundos da UE será gravemente comprometida," disse.

Ver o vídeo

Conselho Europeu: Presidente Durão Barroso faz um apelo à ação decisiva para implementar o Compacto para o Crescimento e o Emprego

O Presidente Durão Barroso enviou um relatório aos chefes de Estado e de governo onde os encoraja a redobrar esforços para implementar o Compacto para o Crescimento e o Emprego.

17/10/2012

(c) EU

Acordado no Conselho Europeu de junho, a implementação do Compacto para o Crescimento e o Emprego tem de ser acelerada. Esta foi a principal mensagem do relatório que o Presidente Durão Barroso enviou hoje aos Estados-Membros.

Apesar de sublinhar os progressos feitos, por exemplo, sobre o aumento de capital do Banco Europeu de Investimento ou as obrigações a favor de projetos, o relatório destaca os resultados dececionantes noutras áreas.

Relatório sobre a implementação das medidas de crescimento apresentadas aos chefes de Estado e de governo

Crescimento mundial em destaque nos Dias Europeus do Desenvolvimento

Apesar da crise, a UE e os seus Estados-Membros continuam a ser os doadores mais generosos da ajuda ao desenvolvimento do mundo. No lançamento da 7.ª edição dos Dias Europeus do Desenvolvimento, o Presidente Durão Barroso fez um apelo ao aumento da assistência da UE para 2014-2020.

16/10/2012

EC

"A Comissão Europeia propôs um aumento ambicioso de 20% para a cooperação para o desenvolvimento no novo orçamento multianual da UE, o que aumentaria o nosso orçamento para a assistência para 100 mil milhões para os anos de 2014-2020," disse o Presidente Durão Barroso. Sublinhou que "vou continuar a defender isto, em particular em tempos difíceis. Porque a cooperação internacional não é só sobre dinheiro, sobre investir na assistência e na mudança. É também sobre valores, sobre o que somos."

O Presidente reiterou o firme compromisso da União Europeia em continuar o trabalho sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e em dar seguimento às conclusões da cimeira Rio+20. Durão Barroso falou sobre os três temas dos Dias Europeus do Desenvolvimento 2012 (DED): a segurança alimentar, a proteção dos mais vulneráveis na sociedade e garantir uma parceria vital com o setor privado, sublinhando que todos são elementos essenciais na promoção inclusiva e no crescimento sustentável.

Antecedentes

Os Dias Europeus do Desenvolvimento são o principal fórum da Europa sobre assuntos internacionais e a cooperação para o desenvolvimento, organizados anualmente pela Comissão Europeia. O evento conta com a presença de representantes de todo o mundo e é uma ocasião importante que destaca o papel líder da UE na assistência ao desenvolvimento e no debate sobre políticas.

Mais sobre os Dias Europeus do Desenvolvimento

Ler o discurso do Presidente

Video from the event

Todos juntos para o mercado único

Durante a abertura da semana do mercado único, que celebra os 20 anos da sua fundação, o Presidente Durão Barroso fez um apelo à aprovação urgente das propostas que a Comissão apresentou para a promoção do mercado único e do crescimento sustentável.

15/10/2012

José Manuel Barroso and Michel Barnier © EU

Em 1992 nascia o mercado único europeu. Hoje, podemos ver as incríveis mudanças que a sua implementação teve na via diária dos cidadãos europeus. A geração de 92, nascida depois de 1992, só conheceu as várias liberdades e oportunidades de que desfrutamos graças ao mercado único - poder viver, viajar, trabalhar, estudar e empreender num espaço sem fronteiras.

"E, ao mesmo tempo que, neste período de crise, vemos emergir fortes tentações de nacionalismo económico e de isolamento identitário, é essencial lembrar que o mercado único continua a ser, mais do que nunca, o fundamento da integração europeia e do crescimento sustentável," declarou o Presidente Durão Barroso, sublinhando que "a nossa melhor fonte endógena de crescimento e de criação de emprego é permitir ao mercado único prosperar".

Em abril de 2011, a Comissão Europeia adotou um Ato para o Mercado Único com 12 ações prioritárias para relançar o crescimento e restaurar a confiança. O Conselho e o Parlamento Europeu acolherem favoravelmente estas propostas. Todavia, atualmente, 11 destas 12 ações têm ainda de ser aprovadas pelo Parlamento Europeu e o Conselho. "É agora urgente avançar e fazer tudo o que for possível para se chegar a um acordo até ao final do ano," enfatizou o Presidente Durão Barroso: "e esta é aliás a mensagem que levarei aos chefes de Estado e de governo durante o Conselho Europeu, esta quinta-feira e sexta-feira em Bruxelas".

"Mas temos também de ir mais longe," disse o Presidente, que sublinhou que a Comissão Europeia adotou, a 3 de outubro, um Ato para o Mercado Único II. Por outro lado, dentro de um mês o Conselho Europeu vai reunir-se para uma cimeira especial dedicada às negociações sobre o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020, incluindo a proposta da Comissão sobre um novo mecanismos para a interligação na Europa – Connecting Europe Facility – para colmatar as ligações em falta, em particular nos domínios dos transportes, da energia e das infraestruturas digitais.

Mais informações sobre a celebração do 20.º aniversário do mercado único

Ver um vídeo sobre o 20.º aniversário do mercado único

Ver o discurso

Prémio Nobel da Paz 2012 para a União Europeia

O Presidente Durão Barroso disse: "O Comité do Prémio Nobel da Paz e a comunidade internacional estão a enviar uma mensagem muito importante à Europa dizendo que a União Europeia é algo muito importante e que devemos valorizar pelo bem dos europeus e pelo bem de todo o mundo."

12/10/2012

EU flag (c) EU

"É de facto uma grande honra para todos os 500 milhões de cidadãos da Europa, para todos os Estados-Membros e instituições europeias receber este Prémio Nobel da Paz.

É um reconhecimento justificado para um projeto único que trabalha em benefício dos seus cidadãos e também em benefício do mundo.

Nunca devemos esquecer que na sua origem a União Europeia uniu nações que estavam a emergir das ruinas da devastação da Segunda Guerra Mundial e que as uniu num projeto pela Paz, com base em instituições supranacionais que representam o interesse comum europeu.

A União Europeia, que começou com a Comunidade Europeia, reunificou países divididos pela Guerra Fria, e fê-lo em torno dos valores do respeito pela dignidade humana, a liberdade, a democracia, a justiça, o Estado de Direito e o respeito pelos direitos humanos."

Ler a declaração completa

Ler a declaração conjunta de José Manuel Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, e Herman Van Rompuy, Presidente do Conselho Europeu, sobre o prémio

A justiça deve estar no centro das ações europeias

No debate dos Friends of Europe, o Presidente Durão Barroso falou sobre a importância da justiça, da solidariedade e da responsabilidade no contexto do combate à crise, do próximo orçamento plurianual, do imposto sobre as transações financeiras e da integração europeia em geral.

11/10/2012

EC

No seu discurso de abertura, o Presidente Durão Barroso reiterou que a resposta à crise a nível europeu é gerar crescimento sustentável. Isto deve ser feito combinando finanças públicas sólidas, reformas estruturais profundas para a competitividade e investimentos direcionados. Admitiu que o equilíbrio entre os três sempre foi um desafio, mas enfatizou que a justiça e a solidariedade devem ser mantidas no centro das ações da UE, uma vez que são o elemento aglutinador que mantém as suas sociedade e a União unidas.

A justiça será ainda mais importante à medida que a Europa se esforça por mais integração iniciada pela crise económica. Isto é demonstrado em todos os passos recentes tomados, desde o chamado pacote de seis medidas de legislação, à criação de mais mecanismos de controlo e responsabilidade partilhada

É por isso que a Comissão apoiou a introdução do Imposto sobre as Transações Financeiras para assegurar que o setor financeiro também contribui e devolve a oferta de solidariedade mostrando mais responsabilidade. "Acredito agora que vamos ter o número de países necessários, estando, aparentemente, onze já comprometidos. Ainda não recebi as cartas destes onze países, mas espero recebê-las nos próximos dias para que possamos prosseguir" disse o Presidente.

A justiça é também a razão pela qual a Comissão está a fazer um apelo a uma abordagem coerente ao Quadro Financeiro Plurianual proposto para 2014-20. "É muito difícil compreender como há quem afirme de forma constante que necessitamos de mais crescimento, de mais investimento, mas quando se trata de votar sobre um orçamento que é precisamente para isso, para o investimento e o crescimento, mudam de atitude e, de facto, propõem uma redução substantiva, e muito substancial, da proposta muito realista que a Comissão apresentou", disse o Presidente. Incluem-se aqui iniciativas, como o Fundo de Ajustamento à Globalização para os mais afetados pela crise, ou apoio às pessoas mais pobres e necessitadas.

Por último, o Presidente fez um forte apelo a todos os Estados-Membros para permitirem que a Europa faça mais em termos de solidariedade: "É interessante notar que os governos têm-se mostrado muito mais abertos a dar às instituições europeias mais poder em termos de disciplina e controlo do que que dar instrumentos às instituições europeias para uma solidariedade efetiva. E isto é um ponto muito importante porque depois as pessoas não se devem mostrar surpresas com o facto da imagem da Europa não melhorar, porque se a Europa aparece sistematicamente como aquela que obriga à aplicação, o controlador, o grande artesão da disciplina, se a Europa não possuir alguns instrumentos credíveis de coesão social, é claro que as pessoas tenderão a culpar a Europa pelas dificuldades atuais, mesmo se sabemos que a crise atual não foi criada pela Europa, nem pelo euro."

Ver o vídeo do debate

Reunião com Angela Merkel em Berlim

O Presidente Durão Barroso reuniu-se com a chanceler alemã, Angela Merkel, para uma reunião de trabalho informal em antecipação ao Conselho Europeu de 18/19 de outubro. Durante o encontro trocaram opiniões sobre os assuntos em agenda.

11/10/2012

José Manuel Barroso and Angela Merkel © EU

Agenda para o crescimento e integração económica mais profunda debatidas com empresários

O Presidente Durão Barroso recebeu um grupo de diretores-executivos do Grupo Consultivo e de Apoio do BUSINESSEUROPE. Debateram as ações para impulsionar o crescimento, o emprego e a competitividade e aprofundar a União Económica e Monetária.

10/10/2012

EC

Depois do Discurso sobre o Estado da União do Presidente e em antecipação às reuniões do Conselho Europeu de outubro e novembro, os assuntos abordados na reunião incluíram o progresso para a união bancária, uma verdadeira união económica e monetária, e o próximo quadro financeiro plurianual.

O Presidente assinalou as importantes iniciativas pró-crescimento da Comissão e fez um apelo aos empresários para participarem no combate ao desemprego jovem, em particular melhorando a transição do sistema educativo para o trabalho. Também debateram o Ato para o Mercado Único II e a comunicação sobre a política industrial – duas propostas-chave apresentadas recentemente pela Comissão.

Entre as empresas representadas na reunião estavam a Accenture, Alstom, Arcelor Mittal, Areva, Bayer, BASF, Bosch, Caterpillar, GDF Suez, General Electric, IBM, KLM, Pfizer, Solvay, UPS e a Schindler.

Ver o vídeo da reunião

Barroso e Bono defendem um orçamento para 2014-20 ambicioso para o desenvolvimento

Durante a reunião, o Presidente Durão Barroso e Bono, em representação da campanha ONE contra a pobreza, focaram-se na proposta da Comissão para aumentar a ajuda externa no orçamento para 2014-20.

09/10/2012

EC

"Salvar vidas e prevenir as doenças são ambos imperativos humanos e um investimento inteligente que os governos responsáveis e as organizações internacionais devem salvaguardar. Por isso, vou fazer um apelo aos Estados-Membros para concordarem com a proposta da Comissão para um aumento de 20% na ajuda externa para o próximo orçamento europeu (2014-2020)," disse o Presidente Durão Barroso numa declaração escrita depois da reunião.

Falando também sobre a sua recente visita ao campo de refugiados de Za'atari, na Jordânia, sublinhou que "temos de fazer mais por estas crianças e pelos refugiados de todo o mundo".

Também debateram a legislação proposta sobre transparência e responsabilidade para as indústrias extrativas que deve permitir que as comunidades em áreas ricas em recursos saibam exatamente o que os governos recebem pelas suas riquezas naturais.

Debate com E. Stoiber sobre a redução dos encargos administrativos até 2014

O Presidente Durão Barroso recebeu Edmund Stoiber, Presidente do Grupo de Alto Nível para a redução dos encargos administrativos, para debater as prioridades do mandato prolongado do grupo. A Comissão está a finalizar o trabalho sobre o novo mandato depois de 2012 e pretende adotá-lo nas próximas semanas.

09/10/2012

EC

O foco do mandato, prolongado até 31 de outubro de 2014, será que o Grupo de Alto Nível continue a aconselhar a Comissão na melhoria da competitividade geral da União Europeia reduzindo os encargos administrativos que resultam da legislação da UE.

Prevê-se que o mandato do Grupo inclua, nomeadamente, a tarefa de acompanhamento junto dos Estados-Membros sobre a implementação eficaz das medidas adotadas no âmbito do Programa de Redução dos Encargos Administrativos da UE como parte de uma abordagem mais alargada para a regulação inteligente e conceção com base nas melhores práticas apresentadas em fevereiro 2012.

O Grupo também continua a prestar atenção especial às necessidades das pequenas e médias empresas, em particular as microempresas, para minimizar os seus encargos administrativos.

Ler mais sobre os resultados da reunião

Ler a declaração do Presidente Durão Barroso depois da reunião com Edmund Stoiber em fevereiro de 2012

Ler mais sobre o relatório do Grupo "A Europa pode fazer mais" sobre as melhores práticas nos Estados-Membros para implementar a legislação da UE

Perguntas e respostas: Onde é que a União Europeia se encontra na redução dos encargos administrativos

O Presidente Barroso acerca do MEE e da situação em Chipre

Na conferência de imprensa que se seguiu à reunião Informal Ministerial sobre a Política Marítima Integrada da UE em Chipre, o Presidente Barroso comentou o próximo Conselho Europeu, o início do Mecanismo Europeu de Estabilidade e a situação em Chipre.

08/10/2012

EU

“Vamos ter um Conselho Europeu importante na próxima semana em que temos de dar uma orientação clara sobre a adoção até ao final do ano da proposta da Comissão para um único mecanismo de supervisão. Penso que é da maior importância que se perceba agora que estamos a tomar decisões concretas e importantes, porque este mecanismo único de supervisão abrirá a possibilidade de haver capitalização direta dos bancos,” referiu o Presidente Barroso.

E prosseguiu: “A Europa tem feito progressos em termos da criação de capacidades integradas para fazer face à crise. Ainda hoje, no Luxemburgo, terá lugar a primeira reunião do Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade, e passaremos a ter então este Mecanismo Europeu de Estabilidade operacional.” Sublinhou que um Mecanismo Europeu de Estabilidade desta dimensão teria sido algo de impensável há alguns anos apenas.

Sobre a situação específica em Chipre, o Presidente Barroso afirmou: “discutimos os progressos relativamente à conclusão do Memorando de Entendimento ... Espero que, à luz das nossas discussões, possamos chegar rapidamente a acordo quanto às medidas a tomar para garantir uma sustentabilidade a longo prazo da economia Cipriota.” Acrescentou que importa dar uma mensagem de esperança ao povo de Chipre, ao mesmo tempo que instava todos os atores em Chipre, incluindo os vários partidos políticos e parceiros sociais, a unirem esforços. “Sei que, se perceberem corretamente quão difícil é a situação, terão a capacidade de superar a conjuntura atual e também de construir juntamente com os outros parceiros da União Europeia um futuro de crescimento sustentável.”

Sobre a política Marítima, o Presidente expressou a sua satisfação com a reunião, dizendo que esta conferência e a Declaração de Limassol constituíram um momento de viragem sobre a forma como a União Europeia entende e promove a política marítima europeia. “Hoje temos o acordo total de que a economia marítima pode dar um contributo fundamental para a promoção do emprego e do crescimento,” disse.

Leia o discurso do Presidente na reunião Ministerial Informal sobre a Política Marítima Integrada da UE

Read more about the New Maritime Agenda

Jornadas Abertas – plataforma indispensável para debater a política de coesão

Nesta mensagem em vídeo aos participantes na 10ª edição das Jornadas Abertas, o Presidente Barroso sublinhou a importância de nos unirmos em torno de um futuro orçamento Europeu que seja credível para o crescimento.

08/10/2012

EC

Na sua mensagem, o Presidente Barroso sublinhou a importância das Jornadas Abertas enquanto plataforma indispensável de debate sobre a política de coesão no contexto da estratégia da UE para superar a crise e voltar ao crescimento.

Na sua opinião, em tempos de restrições orçamentais, a UE precisa mais do que nunca da política de coesão. Lembrou a necessidade de se prosseguir simultaneamente no sentido da consolidação fiscal, das reformas estruturais e dos investimentos direcionados, e recordou que a Comissão aumentou consideravelmente a flexibilidade dos fundos estruturais da EU na crise para assegurar que os investimentos estruturais possam continuar a fluir e a chegar rapidamente aos beneficiários.

A título de exemplo, sublinhou as taxas de co-financiamento mais elevadas e o facto de, entre 2009 e 2012, quase 20 mil milhões de euros terem sido reprogramados de forma a responderem às necessidades mais urgentes. Só em 2012, €10,4 mil milhões foram reprogramados para ajudar os mais afetados pela crise: os jovens desempregados e as pequenas e médias empresas.

Concluiu com um apelo a todas as forças pró-europeias para fazerem um esforço concertado no sentido de um futuro orçamento europeu que dê aos europeus o que eles merecem.

Leia o discurso de Johannes Hahn, Comissário para a Política Regional

Nova ajuda à educação para crianças refugiadas na Jordânia

Um novo donativo de €4,6 milhões foi concedido à UNICEF para programas de educação dirigidos a crianças refugiadas na Jordânia. Durante a sua estada no País, o Presidente Barroso encontrou-se com Sua Alteza o Rei Abdullah II e visitou o campo de refugiados de Za’atari..

07/10/2012

EC

“Temos de assegurar que as famílias que se viram obrigadas a fugir do seu País possam viver em condições dignas e que os seus filhos não percamo direito à educação e a um futuro mais auspicioso,” disse o Presidente Barroso ao anunciar um novo donativo à UNICEF. Significa que o contributo total da UE para este projeto chegará aos €10 milhões este ano.

A União Europeia apoia inteiramente as reformas políticas, económicas e sociais na Jordânia, e a sua assistência financeira ao País é um indicador claro disso mesmo. Nessa medida, a UE já afetou €220 milhões para o período de 2011-2013 e atribuiu recentemente mais €70 milhões do programa SPRING (Apoio à Parceria, Reformas e Crescimento Inclusivo). No dia da visita, foi assinado um ‘Contrato de Boa Governação e Desenvolvimento’ no valor de €40 milhões.

Após uma reunião com Sua Majestade o Rei Abdullah II da Jordânia, o Presidente Barroso sublinhou, numa declaração por escrito, a importância da Jordânia como parceiro da UE, enquanto ator e interlocutor regional essencial no Médio Oriente. Ambos partilham o objetivo global de promover a paz, a estabilidade e a prosperidade.

Os líderes recapitularam os progressos recentes no processo de reforma da Jordânia. “Mais uma vez, tive a oportunidade de transmitir a Sua Majestade o nosso firme apoio e incentivo à prossecução das reformas que consolidarão a democracia, o sistema judicial e o estado de direito na Jordânia,” referiu o Presidente.

O Presidente Barroso congratulou ainda a Jordânia pela sua solidariedade para com os Sírios que fugiram do seu País em busca de refúgio. “Nos últimos dias verificámos que a situação atual não é uma opção. Os trágicos efeitos do alastramento da crise Síria aos países vizinhos podem agravar-se ainda mais, pondo em risco a segurança regional. A prioridade é pôr termo aos assassínios na Síria, acabar com a opressão e apoiar uma transição pacífica. Neste contexto, apoiamos integralmente os esforços do Representante Especial Conjunto das Nações Unidas e da Liga Árabe,” disse o Presidente.

Mais imagens da visita ao campo de refugiados de Za’atari

Veja o vídeo da visita ao campo de refugiados de Za’atari e do encontro com S.A. o Rei Abdulah II

Orçamento futuro: unidos pelo crescimento

Na reunião dos Amigos da Coesão, em Bratislava, o Presidente Durão Barroso encorajou os "Amigos da coesão" e os "Amigos de melhor despesa" a unirem-se no Conselho Europeu como Amigos do Crescimento - crescimento sustentável.

05/10/2012

EC

O Presidente sublinhou a altura oportuna desta reunião de alto-nível num discurso ao grupo. "Em poucas palavras, uma Cimeira do Conselho Europeu especial tentará alcançar um acordo sobre o próximo Quadro Financeiro Plurianual."

O Presidente referiu "a importância da coesão política como um investimento no crescimento, nas pessoas e na competitividade". Sublinhou depois que os fundos estruturais constituem uma proporção importante do investimento público na Europa - mais de metade de todo o investimento público em vários Estados-Membros. Recordou que a Comissão propôs várias formas inovadoras de acelerar o seu desbloqueio onde seja mais necessário.

"Temos de aproveitar este ímpeto. Faço um apelo a uma abordagem positiva e pró-ativa às nossas propostas sobre a modernização, concentração temática, condicionalidade e parcerias,” disse o Presidente.

Ler mais sobre a política regional da UE

Ler a declaração do Presidente depois da reunião do Grupo Amigos da Coesão

Ver o vídeo da reunião

Diálogo 5+5 entre 10 países mediterrânicos – “sempre um precursor e um laboratório de ideias”

Em Malta, na presença do Presidente Barroso, os líderes de dez países mediterrânicos prosseguiram o Diálogo 5+5, instituído em 1990. Refletiram em conjunto sobre as oportunidades e os desafios que a “primavera árabe” veio colocar a todos.

05/10/2012

EC

O Diálogo 5+5 engloba dez países da Bacia Mediterrânea: Itália, França, Espanha, Portugal e Malta pela margem norte e Argélia, Líbia, Marrocos, Mauritânia e Tunísia (a União do Magrebe Árabe) pela margem sul.

O Presidente Barroso frisou: “o grupo 5+5 tem sido sempre um precursor e um laboratório de ideias”.

Não deixou dúvidas de que “a União Europeia continuará a apoiar o processo de transição em curso e as reformas políticas e económicas”.

“Creio num regionalismo aberto, numa Europa voltada para os seus vizinhos e não egocentrista e na complementaridade natural entre as margens norte e sul do Mediterrâneo”.

“O Diálogo 5+5 pode contribuir significativamente para as respostas aos desafios com que a região se confronta. Pode estabelecer laços entre os 10 países hoje presentes na perspetiva da proposta de novos projetos sustentáveis na região."

Intervenção do Presidente Barroso na Cimeira do Diálogo 5+5

Voir la vidéo

Comissão reúne-se com presidentes das comissões do Parlamente Europeu

A reunião anual é uma etapa importante antes da adoção do programa de trabalho da Comissão para 2013, a 23 de outubro.

03/10/2012

Fotografia de grupo © EU

Depois do discurso do Presidente sobre o estado da União, proferido este ano, a 12 de setembro, a reunião é uma parte importante da "parceria especial" entre a Comissão e o Parlamento Europeu. Proporciona uma oportunidade aos presidentes das comissões para avaliarem a implementação do programa de trabalho para 2012 e para indicarem as suas preferências em termos de política e as expectativas para o próximo ano.

A reunião tem lugar a meio do processo de seis semanas do chamado "diálogo estruturado" intensivo, que tem início com o discurso sobre o estado da União, no Parlamento, e encerra os diálogos entre os Comissários e as comissões do Parlamento responsáveis pelas suas respetivas políticas.

Os próximos passos serão a Conferência dos Presidentes do Parlamento Europeu, agendada para 10 de outubro, e a adoção, a 23 de outubro, do próximo programa de trabalho da Comissão para 2013.

Ver o vídeo depois da reunião

Debate com o governo irlandês sobre a próxima presidência do Conselho

Em antecipação à sétima presidência da Irlanda do Conselho de Ministros, os líderes concordaram que a principal prioridade deve ser o crescimento, e debateram a proposta da Comissão para uma união bancária, as negociações para o Quadro Financeiro Plurianual, entre outras prioridades.

03/10/2012

Presidente Durão Barroso e o primeiro-ministro Enda Kenny © EU

Dans les discussions sur la croissance, le président Barroso a souligné que la Commission européenne a adopté une stratégie de croissance intitulée Europe 2020, "qui définit les moyens pratiques permettant de redynamiser nos économies".

Pour être en mesure de soutenir la croissance à l'échelle européenne, l'Europe a besoin d'un budget adapté à cet objectif. Les négociations sur le cadre financier pluriannuel ont atteint un stade critique et le président Barroso a déclaré que "ni le Taoiseach (premier ministre), ni moi ne souhaitons que la responsabilité de sa finalisation incombe à la présidence irlandaise. Je suis reconnaissant du soutien très clair de l'Irlande en faveur de la proposition de la Commission. Le premier ministre comprend parfaitement la valeur du budget de l'UE pour les citoyens et les entreprises irlandais. Dans les prochains mois, il sera essentiel de défendre les aspects de ce budget qui sont propices à la croissance."

En ce qui concerne les propositions de la Commission relatives à une union bancaire, le président Barroso a déclaré que le premier ministre et lui-même "sont déterminés à ce que le superviseur unique soit mis en place dès que possible", notamment parce qu'il s'agit d'une condition essentielle pour que le futur mécanisme européen de stabilité (MES) recapitalise directement les banques. "Je préciserai lors du prochain Conseil européen qui aura lieu en octobre que nous devons rester fidèles aux engagements que nous avons pris en juin", a-t-il affirmé.

Les dirigeants ont également convenu qu'il était important de continuer à lutter contre les niveaux élevés de chômage chez les jeunes. Parmi les priorités, citons la mise en place avant la fin de l'année d'un système de garantie pour la jeunesse et d'un cadre pour la formation professionnelle.

Le président a également salué la détermination sans faille dont ont fait preuve le gouvernement et le peuple irlandais concernant l'exécution du programme UE/FMI. "Je sais que cette présidence sera pour vous l'occasion de mettre en valeur l'engagement de l'Irlande en faveur de l'Europe, comme vous me l'avez souligné aujourd'hui. Je suis impatient de travailler avec vous pour faire de cette présidence irlandaise la meilleure qui n'ait jamais été".

Ver o vídeo

Ler o discurso do Presidente

Apoio ao progresso da transição no Iémen

A União Europeia apoia totalmente um processo de transição pacífico e organizado no Iémen, que responda às aspirações legítimas do povo iemenita para um futuro de paz, segurança, democracia e prosperidade.

03/10/2012

EC

Foram alcançados bons progressos desde que o Presidente Hadi iniciou funções em fevereiro. "Estou particularmente satisfeito com a decisão de estabelecer o Diálogo Nacional - um instrumento essencial para assegurar uma transição inclusiva liderada pelos iemenitas. Este é o passo certo na direção certa," disse o Presidente Durão Barroso na reunião com o Presidente Hadi. Fez também um apelo a todas as partes e forças políticas no Iémen para terem um papel construtivo no processo de transição do país.

A UE também demonstrou um forte apoio à transição em termos financeiros. Foram atribuídos 170 milhões de euros para o período 2012-2014 para apoiar necessidades de curto prazo em áreas-chave, como a governação, segurança social, saúde e segurança alimentar. Desta verba, 40 milhões de euros foram mobilizados para prover necessidades humanitárias imediatas em 2012 – má nutrição, insegurança alimentar e pessoas deslocadas. O Presidente Durão Barroso encorajou o Presidente Hadi a desenvolver mecanismos de cooperação com a sociedade civil e o setor privado que assegurariam o sucesso dos programas apoiados pela UE.

"Em muitas das nações abrangidas pela Primavera Árabe, a viagem está somente a começar. Existirão contratempos, mas apostamos na democracia," disse o Presidente Durão Barroso.

Ler mais sobre a cooperação da UE com o Iémen

Ver o vídeo da conferência de imprensa

Mecanismo Interligar a Europa - conferência

Empresários e decisores políticos apoiam firmemente o plano de 50 mil milhões de euros para investir em infraestruturas nos transportes, energia e Internet.

02/10/2012

EC

Na sessão de abertura, o Presidente Durão Barroso disse: "O Mecanismo Interligar a Europa é muito mais do que projetos específicos. É uma solução europeia para um desafio europeu." Durão Barroso enfatizou com veemência o seu valor acrescentado e contribuição para o crescimento, o emprego e a competitividade da Europa. Para o Presidente, é uma das características mais importantes para o crescimento no Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020 proposto. "Assim, a Comissão irá defendê-lo com vigor" nas atuais negociações.

"Para apoiar o crescimento e para ajudar a gerar emprego em toda a Europa, os nossos cidadãos precisam de acesso livre a ideias, aos mercados e aos recursos necessários para produzir. Muitas vezes, são impossibilitados porque as redes de infraestruturas na Europa estão incompletas, são ineficientes ou simplesmente não existem", explicou o Presidente Barroso.

O Mecanismo Interligar a Europa pode mudar isto colmatando as ligações inexistentes e removendo obstruções na Europa, graças à dimensão e abordagem transnacionais – em alguns casos mesmo pan-europeias. Muitos projetos transfronteiriços não teriam acontecido se os benefícios tivessem sido avaliados meramente a um nível nacional.

"Em última análise, Interligar a Europa é sobre o desenvolvimento das bases para uma União Europeia realmente unida, ligando todos os povos da Europa," disse o Presidente.

A conferência concluiu com um apoio geral sólido por parte dos empresários e decisores políticos a um Mecanismo Interligar a Europa ambicioso capaz de desencadear investimentos adicionais significativos para as infraestruturas estratégicas na Europa.

Antecedentes

Com um orçamento proposto de um máximo de 50 mil milhões de euros entre 2014 e 2020, o Mecanismo Interligar a Europa (MIE) será um instrumento fundamental para promover o crescimento, o emprego e a competitividade através do investimento direcionado para as infraestruturas a nível europeu. Apoiará o desenvolvimento de redes transeuropeias interligadas de elevado desempenho, sustentáveis e eficientes nos setores dos transportes, energia e serviços digitais. Com base no orçamento de 50 mil milhões de euros os fundos para os três setores envolvidos são atribuídos da seguinte forma: 31,7 para os transportes, 9,1 para a energia e 9,2 para a Internet.

flipbook

Ler o comunicado de imprensa sobre os resultados da conferência

Ler o comunicado de imprensa sobre o Mecanismo Interligar a Europa

Ver o vídeo sobre o Mecanismo Interligar a Europa

Ver o discurso do Presidente

Ler a brochura

Ler o discurso do Presidente Durão Barroso

Ler o discurso do Vice-presidente Kallas

Ler o discurso da Vice-presidente Kroes

Ler mais sobre a conferência

Reunião com Jebali, primeiro-ministro da Tunísia

Vinte meses após o início da transição democrática tunisina, os dois dirigentes debateram a situação política e os recentes eventos na Tunísia, assim como o progresso no aprofundamento das relações mútuas.

02/10/2012

M. Jebali et M. Barroso (c) EU

O Presidente e o chefe de governo da Tunísia falaram sobre a preparação da nova constituição e das eleições gerais, assim como das reformas em curso. "Estou muito satisfeito com as garantias dadas hoje por V. Exa sobre a natureza irreversível da transição democrática, assim como pelo compromisso inabalável do seu governo com a defesa dos direitos e das liberdades fundamentais para todos os tunisinos" – declarou o Presidente.

Foram também debatidos os recentes eventos que resultaram em ataques contra representações diplomáticas americanas. O Presidente Durão Barroso mostrou-se "encorajado" pelas declarações de chefe de governo que confirmou que "as posições de uma minoria de extremistas não devem ser confundidas com o sentimento de uma grande maioria do povo tunisino que rejeita a violência, o ódio e o extremismo".

Esta reunião foi também uma oportunidade para reafirmar o total apoio da Comissão à transição democrática na Tunísia e para sublinhar o caráter privilegiado das relações entre a União Europeia e a nova Tunísia. "A União Europeia duplicou a sua assistência à Tunísia em 2011-2013, para 400 milhões de euros. Estamos preparados para fazer ainda mais em 2013 para apoiar o programa de relançamento das autoridades tunisinas" – referiu o Presidente, mencionando também os dois acordou financeiros: no domínio da justiça e no domínio das desigualdades sociais e serviços de cuidados de saúde, com um montante total de mais de 35 milhões de euros, e que foram assinados hoje.

"A cooperação e o diálogo entre a Tunísia e a União Europeia ganham cada vez mais intensidade e é nosso desejo continuar a trabalhar para uma parceria forte e sólida entre a Tunísia e a União Europeia" – concluiu o Presidente. Afirmou também a firme vontade comum de chegar a um acordo político sobre a parceria privilegiada entre os dois parceiros no próximo Conselho de Associação, que deverá realizar-se em novembro, e avançar nas negociações sobre o Acordo de Comércio Livre aprofundado e abrangente.

Ler o discurso

Mais informações sobre o programa de apoio à reforma da justiça na Tunísia

Mais informações sobre o projeto de apoio à redução das desigualdades sociais e aos serviços de cuidados de saúde na Tunísia

Ver o video

Mensagem de felicitações a José María Olazábal, capitão da equipa europeia da Ryder Cup

O Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, enviou a seguinte mensagem esta manhã ao capitão da equipa europeia na Ryder Cup, José María Olazábal:

01/10/2012

Ryder Cup

"Em nome da Comissão Europeia gostaria de felicitá-lo, assim como à sua equipa, pela magnífica vitória. Vencer uma equipa tão talentosa como a dos EUA, manter o título da Ryder Cup e vencer em solo americano, é um enorme tributo à sua liderança soberba e à unidade da equipa europeia. Honrou com dignidade o legado de Seve Ballesteros e fortaleceu o seu próprio lugar na história desta fantástica competição.

Reuniu debaixo da bandeira europeia uma equipa de jogadores com muitas nacionalidades, línguas e culturas de várias partes da Europa. A sua vitória será uma inspiração para muitas pessoas na Europa."

Androulla Vassiliou, Comissária responsável pelo desporto, acrescentou: "Que recuperação tão extraordinária! Estávamos perante um abismo com uma diferença aparentemente difícil de ultrapassar, mas a equipa europeia manteve-se unida perante a adversidade, deixando o seu talento brilhar e tendo conseguido uma vitória magnífica. Tenho a certeza de que Seve Ballesteros estará a aplaudir no paraíso!"

Os Estados Unidos começaram o último dia necessitando somente de quatro pontos num total de 12, mas os jogadores europeus ganharam oito e meio, assegurando uma vitória estreita de 14½-13½ e mantendo o título que tinham ganho em Celtic Manor, em 2010.

Lançamento do Prémio de Inovação Europa Social, em Lisboa

Inovação social significa criar melhores formas de lidar com alguns dos problemas sociais mais desafiantes. A atual crise económica e financeira torna-a mais importante do que nunca. A Comissão Europeia tem um papel vital no apoio à inovação, abrindo caminho para a saída da crise.

01/10/2012

EC

"Desbloquear o potencial atual para o trabalho do amanhã" é o lema da competição, em homenagem ao inovador português, Diogo Vasconcelos. O concurso convida os participantes a apresentarem ideias para criar novos e melhores empregos na Europa. Todos podem participar: empresários, estudantes, instituições de caridade, para referir somente alguns. Todos os semifinalistas e finalistas beneficiarão de um processo de orientação profissional de nove meses, que os ajudará a transformar a sua ideia num projeto empresarial sustentável. Em maio de 2013 a Comissão atribuirá três prémios de 20 000 euros aos projetos vencedores.

Durante o lançamento da competição, o Presidente Durão Barroso prestou a sua homenagem pessoal a Diogo Vasconcelos, que esteve na origem da Inovação Europa Social, em geral, assim como da ideia de lançar um concurso em toda a Europa: "Diogo costumava dizer que as pessoas têm de ser capacitadas e não meros utilizadores passivos das novas tecnologias de hoje. Cada um de nós é como um pequeno píxel que, uma vez ligado com outros píxeis, pode ter um papel muito importante." Este concurso tem exatamente isso como objetivo: ligar pequenos píxeis para que possam formar juntos uma bela imagem.

O lançamento do concurso não é uma iniciava isolada da Comissão Europeia neste campo. A Comissão reconhece totalmente a importância da inovação social e das empresas sociais para o futuro da Europa. Desde 2011, o orçamento para a Inovação Social no Programa-Quadro de Investigação triplicou de 4 milhões para os 12,5 milhões previstos em 2013. Disposições importantes que permitem e encorajam as empresas sociais, assim como a responsabilidade social corporativa, estão contempladas na Europa 2020, a estratégia de crescimento da Europa, assim como nos principais regulamentos, como o Ato para o Mercado Único I e o Ato para o Mercado Único II, que será esta quarta-feira analisado pela Comissão.

Visite o sítio Web da Inovação Europa Social

Ver o vídeo