Ficheiros dos Estados Membros

Este mapa mostra o Leader+ Na União Europeia. Clicando na bandeira de um dado Estado Membro poderá aceder a diversa informação. A ficha de dados de um país apresenta uma síntese do Leader+ ao nível nacional, incluindo: a data em que o programa foi lançado; as principais instituições envolvidas; os temas escolhidos; financiamento; impacto do Leader+ até ao momento e contactos nacionais relevantes.

Existe também um mapa que apresenta detalhes de cada GAL numa determinada região. Pode igualmente obter mais pormenores sobre um dado GAL utilizando a ligação de hipertexto para a base de dados de GALs. São igualmente apresentados pormenores sobre os programas nacionais e respectiva implementação para cada Estado Membro.

A Iniciativa Leader+ da Comunidade não se aplica nos dez novos Estados Membros. Existe, pelo contrário, a possibilidade de introduzir uma medida tipo Leader+, financiada no âmbito da orientação FEOGA para o período de 2004-2006, e que faz parte do programa de Fundos Estruturais.

A oportunidade apenas está disponível para regiões Objectivo 1; consequentemente está excluído todo o território do Chipre. Existem seis novos Estados-Membros (República Checa, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia e Polónia) que optaram por implementar uma medida de tipo Leader+, na qual, com a excepção do trabalho em rede, estão incluídos todos os princípios metodológicos do Leader. Alguns destes Estados-Membros estabeleceram uma rede nacional por sua própria iniciativa.

Para além do financiamento do Leader, a Eslováquia e a Eslovénia dispõem de programas de desenvolvimento rural centrados nas comunidades, que respeitam, parcialmente, os princípios do Leader. O Chipre oferece algumas actividades de ‘aquisição de aptidões’ para actores rurais, tendo em vista a preparação para o próximo período de programação. Em Malta não existe nenhum esquema desse género.

Ao abrigo da medida de tipo Leader+, os apoios podem ser concedidos, sobretudo, para dois tipos de actividades: aquisição de aptidões, no sentido da preparação das comunidades rurais para conceber e implementar estratégias locais de desenvolvimento rural; e a implementação de estratégias integradas de desenvolvimento territorial, numa base piloto, que são preparadas por grupos de acção local (GALs).

Os GALs podem ser elegíveis para participar em acções de cooperação inter-territorial e transnacional e é lhes concedido o acesso ao Observatório Europeu de Áreas Rurais. Eles formulam estratégias locais de desenvolvimento, centradas em um ou mais dos temas prioritários estabelecidos pela Comissão da UE